Mosteiro de São Bento de Viana do Castelo

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/TT/MSBVC
Title type
Atribuído
Date range
1554 Date is certain to 1890 Date is certain
Dimension and support
277 liv., 27 mç.; perg., papel
Biography or history
O Mosteiro de São Bento de Viana do Castelo era feminino, pertencia à Ordem de São Bento e estava sob jurisdição diocesana.

Em 1508, em Dezembro, existia um recolhimento de «beatas», junto à ermida de São Bento de Viana do Castelo, que foi aprovado pelo bispo de Ceuta, D. Francisco.

Em 1545, transformou-se em mosteiro por iniciativa de um grupo de 37 leigos que patrocinaram a fundação de uma casa beneditina para religiosas não nobres (pois já existia no lugar, o mosteiro de Santa Ana para beneditinas nobres).

Em 1546, a 30 de Abril, foi dada a licença pelo arcebispo de Braga.

Em 1549, a 30 de Novembro, obteve-se a bula de confirmação de Paulo III.

Em 1546, iniciou-se a vida monástica, com duas monjas vindas do mosteiro de Vitorino das Donas. As abadessas eram trienais, mas a primeira seria eleita por nove anos.

Em 1833, o noviciado foi fechado.

Em 1834, no âmbito da "Reforma geral eclesiástica" empreendida pelo Ministro e Secretário de Estado, Joaquim António de Aguiar, executada pela Comissão da Reforma Geral do Clero (1833-1837), pelo Decreto de 30 de Maio, foram extintos todos os conventos, mosteiros, colégios, hospícios e casas de religiosos de todas as ordens religiosas, ficando as de religiosas, sujeitas aos respectivos bispos, até à morte da última freira, data do encerramento definitivo.

Os bens foram incorporados nos Próprios da Fazenda Nacional.

Em 1891, o mosteiro foi encerrado por morte da última religiosa.
Custodial history
A toda a documentação dos cartórios de mosteiros ou conventos custodiados pela Repartição da Fazenda de Viana do Castelo foi atribuída uma numeração sequencial. Desta fase de custódia resultou a designação genérica de "Conventos de Viana" por que passaram a ser conhecidos.

Mais tarde, foram transferidos para a Inspecção Geral das Bibliotecas e Arquivos Públicos, em virtude do art.º 6.º do Decreto de 29 de Dezembro de 1887 e do ofício da Direcção-Geral dos Próprios Nacionais, de 31 de Outubro de 1889, sendo incorporados no Arquivo da Torre do Tombo, em 5 de Maio de 1890.

Em 1912, os livros, que se encontravam na Biblioteca Nacional, foram enviados pela Inspecção das Bibliotecas e Arquivos à Torre do Tombo em 1912.

A documentação foi sujeita a tratamento arquivístico, no final da década de 1990, empreendido por técnicos da Torre do Tombo e por investigadores externos. Foi abandonada a arrumação geográfica por nome das localidades onde se situavam os conventos ou mosteiros, para adoptar a agregação dos fundos por ordens religiosas. Desta intervenção resultou o facto de cada ordem religiosa passar a ser considerada como grupo de fundos, e simultaneamente como fundo, constituído a partir da documentação proveniente da casa-mãe ou provincial, alteração esta que provocou a alteração de cotas nos fundos intervencionados.

Foram constituídas séries documentais segundo o princípio da ordem original sempre que possível (com base em índices de cartórios quando existentes), correspondendo à tipologia formal dos actos, e que, na generalidade, é documentação que se apresenta em livro. A documentação que se encontra instalada em maços foi considerada como uma colecção ao nível da série, com a designação de 'Documentos vários', não tendo sido objecto de intervenção.

Este projecto deu origem à publicação da monografia designada 'Ordens monástico-conventuais: inventário', com a coordenação de José Mattoso e Maria do Carmo Jasmins Dias Farinha.
Scope and content
Contém o registo de visitações, registo de profissões, registo de óbitos, licenças para professar, para educandas, licenças civis e eclesiásticas, registo de rações das religiosas, tombos de igrejas, registo de obrigações de missas e festas, tombos de propriedades, apontamentos de medições e confrontações de terras pensionárias do mosteiro, testamentos, registo de arrendamentos, sentenças, dotes a dinheiro, índices de escrituras de dote e de compra, registo de empréstimos e pagamento de juros, registo de lembranças de foros provenientes das terras senhoriais do mosteiro, livros de foreiros, registo de pensões e foros em dinheiro e em géneros, receita e despesa, receita e despesa da tulha e do azeite, borradores de receita e despesa, cadernos de rações da madre tulheira, cadernos das fornadas, inventários das alfaias da sacristia e da fábrica das igrejas anexas, livros de contas de obras do convento e de igrejas anexas, livro das sepulturas da igreja do mosteiro, bulas, breves, cartas de profissão, ordens civis e eclesiásticas, legados, privilégios, arrendamentos, listas de proprietários, índices de prazos e outra documentação relativa ao domínio, classificada por freguesias, entre outros.

Guia de Fundos Eclesiásticos; Ordem de São Bento; Feminino
Arrangement
Organização em séries documentais correspondendo à tipologia formal dos actos.
Other finding aid
ARQUIVO NACIONAL DA TORRE DO TOMBO - [Base de dados de descrição arquivística]. [Em linha]. Lisboa: ANTT, 2000- . Disponível no Sítio Web e na Sala de Referência da Torre do Tombo. Em actualização permanente.

Inventário dos cartórios recolhidos da Biblioteca Nacional em 1912 (L 283) f. 180-18v.

MATTOSO, Fr. José - "Documentos beneditinos da Torre do Tombo". Lisboa: [s.n.], 1970. Sep. de "Lusitania Sacra", 8. Exemplar disponível no Serviço de Referência do IAN/TT: (L 285 A) p. 292-299.

Relação dos livros e documentos vindos da Repartição de Fazenda de Viana do Castelo, de 20 de Dezembro de 1889, recebidos na Torre do Tombo, em 5 de Maio de 1890 (L 282). Estão organizados por entradas de topónimos, apresentam o nome da casa ou a sua invocação, o número de inventário de extinção. Podem ainda indicar o documento e a data da extinção, bem como o estado do edifício nesta data, ou, mais raramente, em que convento se fez a incorporação dos bens do convento extinto.

"Tabelas de correspondência entre os números de ordem antigos referentes ao índice L 282 - "Conventos de Viana" e a nova ordem atribuída", Outubro 1990 (L 552).

INSTITUTO DOS ARQUIVOS NACIONAIS/TORRE DO TOMBO - "Ordens monástico-conventuais: inventário: Ordem de São Bento, Ordem do Carmo, Ordem dos Carmelitas Descalços, Ordem dos Frades Menores, Ordem da Conceição de Maria." Coord. José Mattoso, Maria do Carmo Jasmins Dias Farinha. Lisboa: IAN/TT, 2002. XIX, 438 p. ISBN 972-8107-63-3. (L 615) p. 69-88.
Related material
Portugal, Torre do Tombo, Ministério das Finanças, cx. 2053 e 2054, inv. nº 150.

Portugal, Arquivo Distrital de Braga.
Publication notes
"Ordens religiosas em Portugal: das origens a Trento: guia histórico". Dir. Bernardo de Vasconcelos e Sousa. Lisboa: Livros Horizonte, 2005. ISBN 972-24-1433-X. p. 88.
Creation date
07/04/2011 00:00:00
Last modification
02/02/2017 09:36:52