Processos de Leitura de Bacharéis

Description level
SSR SSR
Reference code
PT/TT/DP/A-A/5-3
Title type
Formal
Date range
1600 Date is certain to 1833 Date is certain
Dimension and support
303 mç. (11.438 proc.); papel
Biography or history
Os procedimentos sobre a Leitura de Bacharéis foram legislados por: cartas régias de 20 de Agosto de 1625 e de 4 de Agosto de 1638 (sobre requisitos para admissão à "leitura"), decreto de 2 de Junho de 1650 (sobre a reforma das inquirições para habilitação à "leitura"), alvarás de 15 de Junho e de 20 de Setembro de 1789 (sobre as Leituras de Bacharéis no Desembargo do Paço), carta de lei de 8 de Agosto de 1822 (sobre condições de admissão dos bacharéis à carreira da magistratura), carta de lei de 4 de Fevereiro de 1823 (sobre condições de admissão dos bacharéis à carreira da magistratura no Ultramar), decreto de 30 de Setembro de 1823 (revoga o decreto de abolição das habilitações e leitura de bacharéis, instaurando o restabelecimento da legislação anterior).
Custodial history
Em 2017, foi iniciada a produção de registos descritivos para cada processo, com base na informação disponibilizada nos ID respectivos e assinalados em Instrumentos de pesquisa, tendo sido concluído em janeiro de 2018. Procedeu-se à análise, verificação e correção da informação ralativa aos processos da Leitura de Bacharéis. Esta análise e verificação incidiu numa amostra de 10% dos processos, acrescentando os casos em que havia qualquer dúvida, quanto ao nome, ou quanto à cota. Foi possível acrescentar alguns nomes de habilitandos, em que um único processo integra várias habilitações, geralmente, pessoas da mesma família. Foram qualificados os registos de nível Subsubsérie e Unidade de instalação, com o preenchimento dos elementos de informação obrigatórios.

Verificou-se que estão em falta os seguintes documentos, num total de 9:

Nome, Cota, Data

Alexandre José de Sousa, letra A, mç. 11, n.º 55, 1755

António de Morais Silva, letra A, mç. 32, n.º 12, 1789

António Garcia Lobo, letra A, mç. 5, n.º 40, 1728

António Novais de Campos, letra A, mç. 42, n.º 64, 1778

Manuel Carvalho da Silva, letra M, mç. 15, n.º 36, 1630

Manuel Osório Coutinho, letra M, mç. 15, n.º 37, 1659

António Pereira Monteiro, letra A, mç. 9, n.º 54, 1700

Lourenço Saraiva, letra L, mç. 12, n.º 6, 1638

Manuel Dias de Lima, letra M, mç. 2, n.º 18, 1705

Não foi ainda possível localizar os seguintes documentos, num total de 23:

António José, letra A, mç. 47, n.º 125, 1785

António Pereira da Silva, letra A, mç. 16, n.º 16, 1735

Domingos Henriques de Andrade, letra D, mç. 3, n.º 29, 1823

Francisco António Cruzeiro, letra F, mç. 21, n.º 3, 1798

Francisco Jerónimo do Vale Freire, letra F, mç. 26, n.º 41, 1787

Francisco Romão, letra F, mç. 2, n.º 65, 1702

Henrique da Silva e Sousa, letra H, mç. 2, n.º 11, 1661

Henrique Francisco de Andrade, letra H, mç. 3, n.º 29, 1782

João António da Silva Medela, letras I e J, mç. 39, n.º 13, 1732

João Cortis, letras I e J, mç. 11, n.º 47, 1706

João Lopes Carvalho, letras I e J, mç. 14, n.º 4, 1691

João Manuel Perdigão, letras I e J, mç. 2, n.º 26, 1686

João Nogueira, letras I e J, mç. 13, n.º 2, 1685

José António da Silva Maia, letras I e J, mç. 39, n.º 14, 1808

José de Carvalho Freire Falcão, letras I e J, mç. 39, n.º 10, 1811

José de Melo Coutinho Garrido, letras I e J, mç. 30, n.º 6, 1756

José Inácio de Mendonça, letras I e J, mç. 18, n.º 33, 1752

José Manuel de Sousa Cardoso Pizarro, letras I e J, mç. 19, n.º 23, 0

José Rodrigues Melro, letras I e J, mç. 37, n.º 13, 1790

Manuel José Plácido da Silva Negrão, letra M, mç. 57, n.º 19, 1791

Tomás Feliciano de Albernas, letra T, mç. 6, n.º 2, 1695

Tomás Perdigão Freire, letra T, mç. 2, n.º 26, 1686

Vicente José Vieira da Mota, letras U e V, mç. 1, n.º 21, 1770

Scope and content
Os processos de Leitura de Bacharéis testemunham os procedimentos legislados para prover bacharéis em cargos de magistratura. Antes da prestação de provas no Desembargo do Paço, ao bacharel candidato era instaurada uma inquirição sigilosa sobre a sua vida e seus antecedentes familiares. Esta inquirição era levada a cabo pelo corregedor da comarca sob ordem do Desembargo do Paço, contando dela a recolha de informação, definida em questionário de devassa tipificado para o efeito, que o sindicante deveria obter nas suas diligências junto das testemunhas inquiridas.

O questionário é o seguinte:

1. "Se sabe, ou supeita o que lhe querem perguntar, e se lhe disse algum sendo perguntado dissesse, mais ou menos da verdade";

2. "Se conhece ao dito habilitando, e se sabe quem fossem seus pais, avós, e que razão tem de os conhecer";

3. "Se sabe que o dito é cristão velho, limpo, e sem raça alguma de cristão novo, mouro, mulato, ou de outra qualquer infecta nação, ou de novamente convertida à nossa Santa Fé Católica";

4. "Se ouviu, ainda que não saiba de certo alguma fama, ou rumor em contrário, e a que pessoas o ouviu, e em que ocasião";

5. "Se o pai, e avós do dito habilitando exercitaram em algum tempo ofício mecânico";

6. "Se é pessoa de boa vida, e costumes, solteiro, ou casado com mulher de limpo sangue, e sem raça."
Language of the material
Português
Other finding aid
ARQUIVO NACIONAL DA TORRE DO TOMBO - Indice da Leitura de Bachareis. [manuscrito]. Lisboa: Torre do Tombo, [s.d.]. Acessivel na Torre do Tombo, Serviço de referência, Instrumentos de descrição, L 259 e L 260 (em formato digital).

MATOS, Lourenço Correia de; AMARAL, Luís, co-autor; SOUSA, Marcelo Rebelo de, pref. - Leitura de bacharéis: índices dos processos. Lisboa: Guarda Mor, D.L. 2006. ISBN: 978-972-98896-3-9; 972-98896-3-5. Exemplar disponível na Torre do Tombo, Biblioteca, 2151/06, 34(469).
Creation date
01/02/2008 00:00:00
Last modification
26/01/2018 13:41:23