Agenda para 1912

Description level
Instalation unit Instalation unit
Reference code
PT/TT/TMB/0024
Date range
1912-01-01 Date is certain to 1912-12-31 Date is certain
Dimension and support
1 liv. (366 p.); papel
Custodial history
Apresenta 7 documentos soltos que foram cotados.
Scope and content
Em "Notes Diverses", registo de várias frases.

Escrito em Lisboa (Bemcasados), a bordo do S.S. “WindhuK” (a caminho de Marselha, a caminho de Nápoles), Nápoles (Excelsior Hotel, Hotel Excelsior), Roma (Select Hotel), Turim (Grand Hotel), a caminho de Lisboa (no Sud-Express), R.M.S.P. "Amazon" (Vigo - Baía da Biscaya, Baía da Biscaya - Ushaut [?], Cherbourg - Londres), Londres (Strand Palace Hotel), Paris (Hotel de Russie, Grand Hotel de Russie), Santa Maria de Ausenberg - Bruxelas, Salins (Hotel Biarritz), Sud-Express a caminho de Lisboa, Elvas (Palácio dos Tarouca), Badajoz (Hotel de Las Dos Naciones), Madrid (Hotel de La Paix), Biarritz, Biarritz - Salins, Biarritz (Villa Amphitryte), a caminho de Lisboa, Lisboa (Bemcasados), R.M.S.P. "Avon" (Baía da Biscaya, a bordo, Paris (Hotel de Russie), Biarritz (Villa Amphitryte), Bordeaux (Cadaujac – Le Bouscaut), Lisboa (Bemcasados), Lisboa a Biarritz no Sud-Express, Hotel Biarritz – Salins, Sud-Express a caminho de Lisboa, Torre de Santo António (Torres Novas), Lisboa (Bemcasados), Hotel Biarritz – Salins, Paris (Hotel de Russie), Bruxelas (Hotel Metropole), Hotel Biarritz – Salins, a caminho de Lisboa com a Mary (Sud-Express), Lisboa (Bemcasados), a bordo do “Cape Finisterre”, Londres (Hotel Metropole), Colónia (Hotel du Nord), Frankfort (Hospiz Savoy Hotel), Berlim (Kaiserhof Hotel), Bruxelas (Hotel Metropole), Paris (Hotel da Rússia), Biarritz (Hotel des Salins), a caminho de Lisboa.

Menciona a agenda diária, as idas aos hospitais e ao consultório. Menciona visita a José d’Arruela. Descreve a viagem a Roma ao Congresso sobre Sífilis, em Castelo de Santo Ângelo (inaugurado a 8 abril) que incluiu a visita ao infante D. Afonso no Quirinal e audiência papal (23 de março a 16 de Abril), e a viagem realizada de 11 de outubro a 7 de novembro durante a qual visitou a rainha D. Amélia em Abercorn House (Richmond). Insere e cola nas notas de novembro um artigo que publicou, intitulado “Fernando da Bulgária: uma profecia do conde de Ficalho”, assinado por Ex-archeiro.

Alude ao estado do tempo, a episódios da sua saúde, a momentos passados com a família, à casa de Maria Ficalho no Palácio dos Caetanos, que foi dos avós de Tomás de Mello Breyner e onde nasceu seu pai (nota de 2 de julho), regista o 20.º aniversário sobre a defesa da sua tese na Escola de Lisboa (23 de julho), menciona os retratos que tirou com a sua antiga farda no fotógrafo dos Paulistas, Vidal Fonseca (a 10 de outubro), alude às idas a concertos e ao teatro. Assinala as visitas do ministro e consuleza de Inglaterra às prisões (18 de fevereiro). Insere uma carta lacrada do marquês da Foz, datada de 4 de junho, dando conta de uma agenda onde Tomás de Mello Breyner diariamente escrevia as suas memórias, e que tinha ficado esquecida num quarto na sua quinta da Torre (doc. solto n.º 1).

Menciona falecimentos de diversas personalidades, a propósito dos quais pode fazer comentários, dar detalhes das causas de morte, e colar ou inserir recortes de imprensa, nomeadamente – de Lord Lister (recorte de imprensa de 10 de fevereiro, doc. solto n.º 5), do Padre Brandão (21 de novembro), da condessa da Flandres, e de muitos outros.

Refere visitas, passeios, e acontecimentos – jubileu de Pasteur no anfiteatro da Sorbonne, o eclipse do sol (17 de abril), a crise ministerial e a greve dos eléctricos (13, 14, 21 de junho), “Causas do fracasso do movimento monárquico” (ver mês de julho e notas de julho, doc. solto n.º 3) o 2.º aniversário da República, entre outros.

Encontram-se ainda inseridos os seguintes documentos soltos: Recorte de imprensa com diálogo em espanhol (doc. solto n.º 4 ), “Dr. Alcino Guanabara: O diretor da “Imprensa” do Rio de Janeiro em Lisboa (27 de junho, doc. solto n.º 2). Inclui ainda um apontamento (doc. solto n.º 6) e um mata-borrão (doc. solto n.º 7).
Access restrictions
A consulta da documentação obedece ao respetivo regime de comunicabilidade do património arquivístico disposto no artigo nº 17, do Decreto-Lei n.º 16, de 23 de Janeiro de 1993.

1 - É garantida a comunicação da documentação conservada em arquivos públicos, salvas as limitações decorrentes dos imperativos da conservação das espécies e sem prejuízo das restrições impostas pela lei.

2 - Não são comunicáveis os documentos que contenham dados pessoais de carácter judicial, policial ou clínico, bem como os que contenham dados pessoais que não sejam públicos, ou de qualquer índole que possa afectar a segurança das pessoas, a sua honra ou a intimidade da sua vida privada e familiar e a sua própria imagem, salvo se os dados pessoais puderem ser expurgados do documento que os contém, sem perigo de fácil identificação, se houver consentimento unânime dos titulares dos interesses legítimos a salvaguardar ou desde que decorridos 50 anos sobre a data da morte da pessoa a que respeitam os documentos ou, não sendo esta data conhecida, decorridos 75 anos sobre a data dos documentos.

3 - Os dados sensíveis respeitantes a pessoas colectivas, como tal definidos por lei, gozam de protecção prevista no número anterior, sendo comunicáveis decorridos 50 anos sobre a data da extinção da pessoa colectiva, caso a lei não determine prazo mais curto.

4 - Compete aos proprietários dos arquivos particulares proporem as regras e modalidades de comunicação da documentação, as quais serão objecto de apreciação e de proposta de homologação ao membro do Governo que superintende na política arquivística por parte do órgão de gestão.

A cláusula 12.ª dos Protocolos de Depósito estabelece:

1. A Primeira Parte Signatária não pode ceder a terceiros, a qualquer título, a documentação depositada sem que para isso seja expressamente autorizado pela Segunda Parte Signatária [os Depositantes].

2. Quando a cedência a terceiros se destine exclusivamente a exposições ou outros eventos de manifesto interesse cultural, a cedência presume-se autorizada, desde que a Segunda Parte Signatária a tal não se oponha nos vinte dias seguintes ao recebimento do pedido de cedência.

3. A Segunda Parte Signatária autoriza a Primeira Parte Signatária a efectuar reproduções do Diário, solicitadas no âmbito da consulta pública do mesmo, com respeito pelas condições técnicas gerais de salvaguarda e preservação do Diário.
Physical location
Professor Tomás de Mello Breyner, liv. 24
Language of the material
Português, francês, latim, espanhol.
Other finding aid
ARQUIVO NACIONAL DA TORRE DO TOMBO - [Base de dados de descrição arquivística]. [Em linha]. Lisboa: ANTT, 2000- . Disponível no Sítio Web e na Sala de Referência da Torre do Tombo. Em actualização permanente.
Related material
Portugal, Torre do Tombo, Henrique de Paiva Couceiro.

Portugal, Torre do Tombo, José de Arruela.
Publication notes
MELLO BREYNER, Thomaz de - Diário de um Monárquico: 1911 - 1913. Transcrição, selecção, anotações e nota prévia de Gustavo de Mello Breyner Andresen. 1.ª ed. Porto: 1994. Exemplar oferecido em 16 de julho de 2015 à Torre do Tombo: PP 129/15.
Notes
Notas ao elemento de informação "Título": Título formal: "Agenda de bureau pour 1912".
Creation date
7/4/2016 6:03:20 PM
Last modification
8/1/2019 2:39:01 PM