Digital representation
Digital representation thumbnail

Inventário de extinção do Convento de Santa Ana de Lisboa

Description level
File File
Reference code
PT/TT/MF-DGFP/E/002/00073
Title type
Atribuído
Date range
1856 Date is certain to 1913 Date is certain
Dimension and support
1 proc., planta (538 f.); papel
Scope and content
O Convento pertencia à Ordem dos Frades Menores (Ordem de São Francisco), estava situado junto ao Campo dos Mártires da Pátria, na freguesia da Pena. Foi extinto em 4 de Maio de 1884, por morte da última religiosa madre Maria da Conceição.

Em 17 de Maio de 1884, a Fazenda Nacional tomou posse do edifício do Convento, igreja, oficinas, hospício e outros anexos. Compareceram o Dr. João Carlos Pessoa de Amorim, administrador do Bairro Oriental, José Maria Alves Lopes, escrivão da Fazenda, entre outros.

Contém inventários do pessoal do Convento, despesa, dívidas activas e passivas, bens e rendimentos, bem como a minuta do inventário e descrição dos bens imóveis (prédios urbanos) e móvéis, objectos preciosos.

Compreende o inventário dos bens do suprimido Convento, de prédios urbanos, bens imóveis, biblioteca e cartório, elaborado em 15 de Maio de 1884.

Integra a descrição e avaliação dos livros do serviço do culto, e da biblioteca.

O cartório era constituído por alvarás, bulas pontifícias, cartas de arrematação de propriedades, Estatutos da Associação de Nossa Senhora da Apresentação no Convento de Santa Ana (1883), estatutos ordenados pelo cardeal rei confirmando as disposições régias de D. Catarina, inventário das alfaias da Associação do Senhor Jesus dos Aflitos, livro dos assentos das religiosas de mercê régia (1786), testamentos, entre outros.

Integra o Decreto de 8 de Novembro de 1888, a ceder provisoriamente parte do edifício do Convento ao Ministério dos Negócios da Marinha e Ultramar, a planta do Asilo da Infância Desvalida de Lisboa, estabelecido numa parte do extinto Convento, sendo presidente o duque de Palmela (1891), entre outros.

Em 28 de Julho de 1894, a Inspecção da Academia de Belas Artes de Lisboa solicitou para o Museu Nacional, quadros, azulejos e doze baixos-relevos de madeira com figuras pintadas a cores e douradas.

Contém o recibo da entrega de seiscentos azulejos que pertenciam ao Convento de Santa Ana para as obras de restauração da Igreja da Madre de Deus (1895).

Por despacho Ministerial de 27 de Setembro de 1896, o edifício do convento foi cedido ao Instituto Bacteriológico Câmara Pestana, e à Direcção Especial dos Edifícios Públicos e Faróis, em 18 de Dezembro de 1896.

Inclui documentos da Real Irmandade dos Escravos do Santíssimo Sacramento e irmãos da Senhora Santa Ana, organizada entre a corporação dos sapateiros, estando na posse da igreja, sacristia e da Casa do despacho, desde 1500.

Sendo que, em 1571, foi autorizado às penitentes de Santo Agostinho edificarem o Convento, anexo à Igreja.

Em 1571, as freiras penitentes de Santo Agostinho acordaram com a Irmandade de edificar o mosteiro junto às paredes da Ermida de Santa Ana, de que aquela se dizia proprietária, sob a protecção da rainha D. Catarina, mulher de D. João III, lavrando-se escritura da concordata, em 21 de Julho de 1561.

Quando se instalaram as freiras, surgiram discórdias de parte a parte, dissolvidas pelo Terramoto de 1755, visto que destruiu a ermida e desmoronou parte do Convento, obrigando as religiosas a abrigarem-se em barracas feitas na cerca, indo os irmãos de Santa Ana para São Crispim, à Sé, onde trataram de reedificar a capela com a mesma invocação.

Por Portaria de 28 de Maio de 1897, do Ministério das Obras Públicas, a Irmandade obteve uma indeminização para desistir da igreja.

Por ocasião da entrega provisória das alfaias e paramentos da igreja, e altares entalhados do coro, surgiu outra contenda, desta vez com o patriarca, cuja irmandade reclamava como seus, obrigando à intervenção do conde de Azarujinha, juiz da Irmandade dos Escravos do Santíssimo Sacramento, erecta na freguesia da Pena.

A documentação menciona bens situados nos concelhos de Lisboa, Tábua, entre outros.
Physical location
Ministério das Finanças, Convento de Santa Ana de Lisboa, cx. 1974
Original numbering
IV/A/12 (1) a IV/A/12 (46) - caixa 94
Language of the material
Português
Notes
Documento selecionado para o projeto "Lx Conventos: Da cidade sacra à cidade laica. A extinção das ordens religiosas e as dinâmicas de transformação urbana na Lisboa do século XIX.", financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (PTDC/CPC-HAT/4703/2012). Este projeto tem como Instituição Proponente o Instituto de História de Arte, da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, da Universidade Nova de Lisboa, que decorreu entre Maio de 2013 e Abril de 2015.
Creation date
19/03/2009 00:00:00
Last modification
12/07/2016 10:19:24