Digital representation
Digital representation thumbnail
Available services

Inventário de extinção do Convento de Santa Mónica de Lisboa

Description level
File File
Reference code
PT/TT/MF-DGFP/E/002/00076
Title type
Atribuído
Date range
1856 Date is certain to 1932 Date is certain
Dimension and support
1 proc., planta (332 f.); papel
Scope and content
O Convento pertencia à Ordem dos Agostinhas Calçadas, estava situado na freguesia de São Vicente. Foi extinto por Decreto de 12 de Outubro de 1864, por não satisfazer os fins da instituição quanto ao número legal e canónico exigido de religiosas, apenas residiam duas religiosas professas, Maria Leonor Bonança Lencastre, e Ludovina Cândida da Rocha, tendo sido foram obrigadas a escolher outra residência.

Contudo, Maria Leonor Bonança Lencastre, última religiosa, viria a falecer a 13 de Setembro de 1870, naquele Convento.

Contém inventários de descrição e avaliação de bens imóveis (rústicos e urbanos) e dos bens móveis, do edifício do Convento e anexos, alfaias, objectos preciosos, foros, prazos, mapas de despesa, de dívidas activas e passivas, de bens e rendimentos (propriedades e papéis de crédito), procurações da prioresa Soror Maria Leonor de Bonança e Lencastre, entre outros.

Inclui a minuta do inventário dos bens do Convento das Mónicas (edifício, cerca e mais objectos) feito pelo escrivão Joaquim António Gonçalves, sendo juiz do inventário o cónego João de Deus Antunes Pinto desembargador da Relação Eclesiástica, nomeado pelo provisor vigário geral interino do patriarca. Após entrada na clausura, foram recebidos pela madre prioresa Maria Leonor da Bonança Lencastre, acompanhada da pupila Filomena Augusta da Cunha e da secular recolhida D. Maria Madalena dos Santos, estando também presentes os louvados e o sacristão do Convento, Augusto José Brandão (1859).

Por ofício da 2.ª Repartição da Fazenda, de 22 de Junho de 1870, o Convento e a cerca, foram mandados pôr à disposição do Procurador régio junto à Relação de Lisboa, sendo destinados a casa de correcção cuja posse ocorreu a 27 do mesmo mês, tendo sido os objectos entregues à guarda do mesmo procurador.

Não havia dependência no Convento que servisse de cartório. Depois do falecimento da última religiosa, foram encontrados documentos na sua cela e, ainda, no coro debaixo, dentro da arca que servia à Exposição do Santíssimo Sacramento, em Quinta-feira Santa.

Em 1898, o Convento deu lugar à Casa de Correcção das Mónicas para menores.

Integra a planta da Casa de Correcção e edifícios confinantes (Asilo de Infância Desvalida, Creche de Santa Eulália, Igreja da Graça, Quartel de Infantaria, entre outros), bem como a cópia do auto de posse de uma faixa de terreno da cerca da Casa de Correcção pela Sociedade de Instrução e Beneficência - A Voz do Operário - concedida por Carta de Lei de 18 de Setembro de 1908 ( 29 de Outubro de 1908).

Por Portaria do Ministério dos Negócios Eclesiásticos e de Justiça, de 7 de Outubro de 1870, a Igreja do Convento foi cedida à Irmandade de Santa Cruz e Paixão.

As alfaias, vasos sagrados e mais objectos de culto, foram entregues ao comissionado do prelado do Patriarcado, o padre Alfredo Eduardo da Encarnação Delgado, os padrões de juro real foram entregues ao cartorário da Repartição da Fazenda, Eduardo Potier, bem como o restante conteúdo do cartório, em 23 de Junho de 1871.

Em 17 de Novembro de 1870, entiveram presentes no edifício do extinto Convento para a inventariação António José de Almeida Araújo, escrivão da Fazenda do Bairro Oriental, a secular D. Joana Maria Monteiro Correia, a pupila D. Filomena Augusta da Cunha Sousa e Vasconcelos, os louvados Manuel Nunes Colares, carpinteiro, António José Nunes, mestre de obras, entre outros.

Integra ofícios respeitantes à cedência de bens (urna do altar, bases da tribuna, entre outros, da extinta capela das Mónicas) à Comissão do Culto Católico da Catedral de Beja (1932).

A documentação menciona bens situados nos concelhos de Lisboa, Loures, Moita, Almada, Torres Vedras, Avis, entre outros.
Physical location
Ministério das Finanças, Convento de Santa Mónica de Lisboa, cx. 1982
Original numbering
IV/A/17 (1) a IV/A/17 (23) - caixa 98
Language of the material
Português
Notes
Documento selecionado para o projeto "Lx Conventos: Da cidade sacra à cidade laica. A extinção das ordens religiosas e as dinâmicas de transformação urbana na Lisboa do século XIX.", financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (PTDC/CPC-HAT/4703/2012). Este projeto tem como Instituição Proponente o Instituto de História de Arte, da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, da Universidade Nova de Lisboa, que decorreu entre Maio de 2013 e Abril de 2015.
Creation date
3/19/2009 12:00:00 AM
Last modification
7/12/2016 10:19:25 AM