Colegiada de Nossa Senhora da Assunção de Azambuja

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/TT/CNSAAZ
Title type
Atribuído
Date range
1541 Date is certain to Date is certain
Dimension and support
1 liv.; perg.
Biography or history
A Igreja Colegiada de Nossa Senhora da Assunção de Azambuja pertenceu ao distrito eclesiástico do Ribatejo e sucessivamente, ao bispado, arcebispado e patriarcado de Lisboa.

Em 1272, no foral concedido por Rui Fernandes, alcaide da vila, estão documentados o prior e a paróquia da Azambuja.

Em 1288, João Lopes, reitor da igreja da Azambuja, foi um dos subscritores da súplica dirigida ao Papa Nicolau IV a favor da ratificação de um Estudo Geral no reino, disponibilizando as rendas das igrejas e mosteiros respectivos para o pagamento dos seus mestres e doutores.

D. Dinis fez-lhe doação da metade das dízimas das lezírias de Alcalames e Albacetim.

Em 1332, D. Afonso IV confirmou a doação das dízimas da lezíria da Atalaia, feita por D. Dinis e D. Isabel à Igreja de Santa Maria da Azambuja (1318) a pedido do prior Fernão Rodrigues.

A igreja foi retirada do Padroado Real por Bula de Clemente V de 10 de Janeiro de 1345, e foi, novamente, incorporada por sentença de 20 de Dezembro de 1348. Coube-lhe contribuir para o Estudo Geral com 500 libras anuais, quantia reduzida à metade do rendimento da igreja, desde 1434. Este contributo manteve-se até 1755, e, provavelmente, até à reforma da Universidade de Coimbra, em 1772.

Existe como colegiada desde o século XVI. A comenda de Santa Maria da Assunção era paga pela igreja aos senhores de Azambuja. A igreja teve seis benefícios.

Em 1762, foi abrangida pela visitação às paróquias do Ribatejo e parte do termo Este de Lisboa, decretada em 1761 pelo cardeal patriarca de Lisboa, D. Francisco de Saldanha, sendo visitador Francisco Xavier Baptista.

Em 1848, a Colegiada foi extinta pela Lei de 16 de Junho, mandada executar por Instrução do cardeal patriarca, de 17 de Setembro do mesmo ano, e pela Lei de 27 de Dezembro de 1849.
Custodial history
Em 1848, pela lei de 16 de Junho, e Instrução de 17 de Setembro, os bens e rendimentos da Colegiada foram aplicados para manutenção do Seminário Patriarcal de Lisboa. Em 1849, pela Lei de 27 de Dezembro, Artº. 10º, os documentos foram guardados no cartório do Seminário em Santarém.

Em 1862, os documentos pertencentes às Colegiadas de Nossa Senhora da Anunciação da Lourinhã, de São João do Mocharro de Óbidos, de Nossa Senhora da Assunção da Azambuja anteriores a 1600, depositados no Seminário de Santarém, foram mandados transferir e incorporar no Arquivo da Torre do Tombo, pelo Decreto de 2 de Outubro, Art.º 2.ª Repartição da Direcção Geral dos Negócios Eclesiásticos do Ministério dos Negócios Eclesiásticos e de Justiça, e pela Portaria do Ministério do Reino de 29 de Janeiro de 1864, sendo nomeado o oficial diplomático daquele Arquivo, Roberto Augusto da Costa Campos, para os coligir e receber. Estando os documentos misturados com os das restantes colegiadas, procedeu à sua ordenação e inventariação, coadjuvado por Rafael Eduardo de Azevedo Basto, amanuense da Torre do Tombo. A entrega feita pelo Secretário do Seminário Patriarcal, Carlos Joaquim Martinho Calderon, e a incorporação ocorreram a 5 de Outubro de 1864, conforme atesta a relação foi assinada por Carlos Joaquim Martinho Calderon, Roberto Augusto da Costa Campos, Rafael Eduardo de Azevedo Basto.

No final da década de 1990, foi abandonada a arrumação geográfica por nome das localidades onde se situava a instituição eclesiástica, para adoptar a agregação dos fundos por diocese.
Scope and content
Contém o tombo das propriedades da igreja, o traslado autêntico da demarcação do casal de Vale de Geriça. O documento também foi usado como tombo do cartório da igreja, servindo para registar traslados de verbas de testamentos, em 1571. Tem ainda averbamentos, à margem, dando notícia de alguns foreiros que se sucederam no tempo, de alguns pagamentos de foros, das datas dos aforamentos e, por vezes, das anexações das propriedades relativas aos anos compreendidos entre 1626 e 1808.

A documentação refere bens do Convento de Santa Clara de Santarém, do Hospital de Todos os Santos de Lisboa, do Mosteiro de Santa Maria de Almoster, do Mosteiro de Santos de Lisboa, do Mosteiro de São Vicente de Fora, da cidade de Lisboa, do Hospital de Cristo de Santarém, da Igreja de São Nicolau de Santarém e da Misericórdia de Lisboa, do [hospital?] do Santo Espírito da vila da Azambuja, do Mosteiro de Alcobaça, da Igreja [?] de Santa Marinha.

Guia de Fundos Eclesiásticos; Diocesanos - Lisboa - Alenquer
Arrangement
Ordenação numérica das unidades de instalação (livro).
Access restrictions
Documento retirado da consulta.
Other finding aid
ARQUIVO NACIONAL DA TORRE DO TOMBO - [Base de dados de descrição arquivística]. [Em linha]. Lisboa: ANTT, 2000- . Disponível no Sítio Web e na Sala de Referência da Torre do Tombo. Em actualização permanente.

Relação de documentos pertencentes às Colegiadas de Nossa Senhora da Anunciação da Lourinhã, de São João do Mocharro de Óbidos, de Nossa Senhora da Assunção da Azambuja que, em virtude do Decreto de 2 de Outubro de 1862, e da Portaria do Ministério do Reino, de 29 de Janeiro de 1864, foram transferidos do Seminário Patriarcal de Santarém para o Arquivo da Torre do Tombo, em 5 de Outubro de 1864 (C 296) f. 37.
Related material
Portugal, Torre do Tombo, Câmara Eclesiástica de Lisboa, mç. 1827, Processos de casamento, mç. 2995, 3166-3171.

Portugal, Torre do Tombo, Gavetas, Gav. 19, mç. 1, doc. 1.

Portugal, Torre do Tombo, Leitura Nova, liv. 54, (Livro I dos Padroados).
Publication notes
PEREIRA, José António Machado - Santa Maria d'Assunção de Azambuja: História, património e arte. Azambuja: Paróquia de Nossa Senhora da Assunção de Azambuja; José A M Pereira, 2001.
Creation date
3/9/2011 12:00:00 AM
Last modification
5/22/2013 1:46:21 PM