Casa de Nossa Senhora das Necessidades da Tomina

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/TT/CNSNT
Title type
Atribuído
Date range
1778 Date is certain to 1828 Date is certain
Dimension and support
3 liv.; papel
Biography or history
A Casa de Nossa Senhora das Necessidades da Tomina era masculina, situava-se no termo da vila de Moura, e pertencia à Congregação dos Clérigos Regulares Ministros dos Enfermos de Portugal e dos Algarves, inicialmente designada de Congregação de Tomina ou de Congregação de Nossa Senhora das Necessidades de Tomina.

Esta congregação foi fundada pelo padre Manuel de Jesus Maria (nome religioso de Manuel Beça Leal) que em 1677 se retira e isola em Tomina, recebendo ordens sacras de D.Fr. Bernardino de Santo António (bispo titular de Targa) em 1683.

Por alvará de D. Pedro II, dado a 4 de Março de (?) o padre Manuel de Jesus Maria, recebeu licença para fundar o convento.

Em 1702, por alvará dado a 11 de Maio, foi concedida uma porção de terra para a cerca dos Congregados.

A Congregação foi aprovada por Bula do Papa Clemente XI, em 23 de Dezembro de 1709, com a missão de assistência aos moribundos.

Em 1749, por alvará de D. João V, de 28 de Março, foi concedida licença aos Congregados para passarem para a ordem fundada por São Camilo de Lélis, passando a designar-se por Congregação dos Clérigos Regulares Ministros dos Enfermos de Portugal e dos Algarves. Pelo mesmo alvará se concedia autorização para ordem ser fundada nas Casas dos Congregados.

Em 1782, por alvará de D. Pedro III, de 17 de Abril, foi confirmada a doação da coutada de Moura e declarada a sua demarcação.

Em 1834, no âmbito da "Reforma geral eclesiástica" empreendida pelo Ministro e Secretário de Estado, Joaquim António de Aguiar, executada pela Comissão da Reforma Geral do Clero (1833-1837), pelo Decreto de 30 de Maio, foram extintos todos os conventos, mosteiros, colégios, hospícios e casas de religiosos de todas as ordens religiosas, ficando as de religiosas, sujeitas aos respectivos bispos, até à morte da última freira, data do encerramento definitivo.

Os bens foram incorporados nos Próprios da Fazenda Nacional.

Em 1834, a 13 de Setembro, o escrivão com comissão do Dr. António Rodrigues de Lemos, juiz dos Órfãos e delegado do provedor do concelho, veio à Aldeia de Santo Aleixo, ao encontro do padre Caetano da Costa Machado, presidente do Convento de Nossa Senhora das Necessidades da Tomina, que tinha trazido consigo alguns dos bens mais valiosos do convento, que por estar situado no descampado da Tomina, estava mais exposto à guerrilha e aos ladrões.
Custodial history
Em 1869, a 8 de Abril, em virtude das Portarias de 26 de Novembro de 1863 e 24 de Agosto de 1864, os documentos pertencentes aos extintos Conventos de Santa Iria de Tomar, Trindade de Santarém, Carmo Calçado de Torres Novas, Nossa Senhora das Necessidades de Tomina e São Francisco de Moura foram transferidos do cartório da Direcção-Geral dos Próprios Nacionais para o Arquivo da Torre do Tombo, conforme consta da relação assinada por António Manuel Garcia, 2.º oficial arquivista do Arquivo da Direcção-Geral dos Próprios Nacionais e por Roberto Augusto da Costa Campos, oficial diplomático da Torre do Tombo.

No final da década de 1990, foi abandonada a arrumação geográfica por nome das localidades onde se situavam os conventos ou mosteiros, para adoptar a agregação dos fundos por ordens religiosas.
Scope and content
Contém o livro dos inventários (inclui o inventário de documentos do arquivo da Casa das Necessidades da Tomina, o inventário do Hospício de Moura), o livro das receitas e das despesas.

A documentação menciona bens situados no Alvito, em Évora, Moura e Santo Aleixo.

Fundos Eclesiásticos; Congregação dos Clérigos Regulares Ministros dos Enfermos de Portugal e dos Algarves
Other finding aid
ARQUIVO NACIONAL DA TORRE DO TOMBO - [Base de dados de descrição arquivística]. [Em linha]. Lisboa: ANTT, 2000- . Disponível no Sítio Web e na Sala de Referência da Torre do Tombo. Em actualização permanente.

Relação dos documentos pertencentes aos extintos Conventos de Santa Iria de Tomar, Trindade de Santarém, Carmo Calçado de Torres Novas, Nossa Senhora das Necessidades de Tomina e São Francisco de Moura que, em virtude das Portarias de 26 de Novembro de 1863 e 24 de Agosto de 1864, foram transferidos do cartório da Direcção-Geral dos Próprios Nacionais para o Arquivo da Torre do Tombo, em 8 de Abril de 1869 (C 423) p. 27-31.
Related material
Portugal, Torre do Tombo, Ministério das Finanças, cx. 2239 , inv. n.º 280.

Portugal, Torre do Tombo, Registo Geral de Mercês, D. João V, liv. 36, f. 377. Padre Director e congregados de Tomina.

Portugal, Torre do Tombo, Registo Geral de Mercês, D. João V, liv. 40, f. 8. Congregação de Nossa Senhora das Necessidades de Tomina.
Creation date
2/23/2011 12:00:00 AM
Last modification
1/7/2020 9:44:25 AM