Convento de Nossa Senhora e Santo António de Mafra

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/TT/CNSSAM
Title type
Atribuído
Date range
1701 Date is certain to 1775 Date is certain
Dimension and support
2 liv.; papel
Biography or history
O Convento de Nossa Senhora e Santo António de Mafra era masculino, pertencia à Ordem dos Frades Menores, e à Província da Arrábida.

A Província da Arrábida deriva de uma reforma autónoma, situada no âmbito da "mais estreita observância". A sede da Província teve lugar inicialmente na Arrábida, depois no Convento de São Pedro de Alcântara em Lisboa e, finalmente, no Convento de Nossa Senhora e Santo António de Mafra.

Em 1539, a 23 de Janeiro, foi alcançada a licença necessária do Padre-Geral da Ordem Franciscana, para se instalarem numa ermida aberta ao culto, onde se venerava a imagem conhecida por Nossa Senhora da Arrábida, situada na serra da Arrábida, que fora oferecida por D. João de Lencastre (1501-1571), primeiro duque de Aveiro, à Ordem Franciscana, bem como os terrenos circundantes.

Em 1552, fundados quatro ou cinco conventos, formaram uma Custódia com hábito, estatutos e ordenações próprios, aprovados pelo Ministro Geral da Ordem, a 4 de Outubro.

Em 1560, foi constituída a Província, aprovada pelo breve "Sicut aliquando exposuit", de 10 de Maio.

Em 1715, foi fundado o Convento de Nossa Senhora e Santo António de Mafra. Teve origem numa comunidade do Hospício do Espírito Santo.

Em 1730, a 21 de Outubro, sagrada a Igreja de Nossa Senhora e Santo António, junto de Mafra, foi para lá transferida a sobredita comunidade.

Em 1744, foram considerados concluídos os trabalhos do complexo arquitectónico de Mafra, ainda que muitos pormenores se encontrem por realizar, o convento era, então, habitado por 342 religiosos, 203 sacerdotes, 45 coristas, 10 noviços, 60 leigos e 24 donatos.

Entre 1771 e 1791, por breve do papa Clemente XIV, de 4 de Julho de 1770, concedido a requerimento do Marquês de Pombal, foi ocupado pelos Cónegos Regulares de Santo Agostinho da Congregação de Santa Cruz de Coimbra; os Franciscanos da Província da Arrábida saíram do Convento de Mafra, em Maio de 1771.

Em 1791, os Cónegos Regulares de Santo Agostinho saíram do edifício de Mafra, regressando os frades arrábidos.

Em 1833, pelo Decreto de 21 de Agosto, os religiosos franciscanos arrábidos foram novamente afastados do convento de Mafra e repartidos pelos conventos do Espírito Santo de Loures, de Nossa Senhora da Boa Viagem nas Praias, de São Cornélio dos Olivais, de Alferrara e de Nossa Senhora da Arrábida. O Convento passou então para a posse dos Cónegos Regulares de Santo Agostinho.
Custodial history
Em 1867, o livro 1 foi transferido pela Direcção Geral dos Próprios Nacionais para a Torre do Tombo.

Não é ainda conhecida a história custodial e arquivística do outro livro.

A documentação foi sujeita a tratamento arquivístico, no final da década de 1990, empreendido por técnicos da Torre do Tombo e por investigadores externos. Foi abandonada a arrumação geográfica por nome das localidades onde se situavam os conventos ou mosteiros, para adoptar a agregação dos fundos por ordens religiosas. Desta intervenção resultou o facto de cada ordem religiosa passar a ser considerada como grupo de fundos, e simultaneamente como fundo, constituído a partir da documentação proveniente da casa-mãe ou provincial, alteração esta que provocou a alteração de cotas nos fundos intervencionados.

Foram constituídas séries documentais segundo o princípio da ordem original sempre que possível (com base em índices de cartórios quando existentes), correspondendo à tipologia formal dos actos, e que, na generalidade, é documentação que se apresenta em livro. A documentação que se encontra instalada em maços foi considerada como uma colecção ao nível da série, com a designação de 'Documentos vários', não tendo sido objecto de intervenção.

Este projecto deu origem à publicação da monografia designada 'Ordens monástico-conventuais: inventário', com a coordenação de José Mattoso e Maria do Carmo Jasmins Dias Farinha.
Scope and content
Contém o Livro das actas capitulares e das patentes (1732-1759), e o Livro de assentos de religiosos (1686-1775).

O primeiro inclui as patentes dos Ministros Provinciais enviadas aos conventos da sua Província, as actas dos Capítulos celebrados em Mafra, e as cartas do Ministro Geral da Ordem, enviadas dos conventos de São Francisco de Madrid e de Valencia, bem como documentos relativos à reforma da disciplina regular (1747), ao "abrir de sortes" nas igrejas e nos conventos, ao contrabando escondido nos conventos e em casas religiosas (1757), e à sua utilização como refúgio de homiziados (1757), e ainda alguns documentos relativos ao atentado feito a D. José, em 3 de Setembro de 1758, entre outros.

O segundo divide-se em duas partes, a saber, a primeira, registando o nome, a freguesia de nascimento e de baptismo, data e idade de tomada de hábito e de profissão de cada religioso (1686-1766), a segunda, intitulada ?Memória dos que faleceram desde o ano em que o convento foi sagrado?, com o local de falecimento, apresentando os nomes organizados por provinciais eleitos, figurando, na sequência cronológica, a indicação das datas das Congregações e dos Capítulos realizados (1730-1775).

Fundos Eclesiásticos; Ordem dos Frades Menores - Província da Arrábida M
Arrangement
Organização em séries documentais correspondendo à tipologia formal dos actos.
Other finding aid
ARQUIVO NACIONAL DA TORRE DO TOMBO - [Base de dados de descrição arquivística]. [Em linha]. Lisboa: ANTT, 2000- . Disponível no Sítio Web e na Sala de Referência da Torre do Tombo. Em actualização permanente.

INSTITUTO DOS ARQUIVOS NACIONAIS/TORRE DO TOMBO - "Ordens monástico-conventuais: inventário: Ordem de São Bento, Ordem do Carmo, Ordem dos Carmelitas Descalços, Ordem dos Frades Menores, Ordem da Conceição de Maria." Coord. José Mattoso, Maria do Carmo Jasmins Dias Farinha. Lisboa: IAN/TT, 2002. XIX, 438 p. ISBN 972-8107-63-3. (L 615) p. 183, 356, 361-362.

Índice (inventário) dos livros de diversos conventos, ordens militares e outras corporações religiosas guardados no Arquivo da Torre do Tombo, conventos diversos, caderneta 3 (Santo Elói a Teatinos) (C 270) f. 3, 63.
Related material
Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. João V.

Portugal, Torre do Tombo, Conselho Geral do Santo Ofício, Papéis avulsos, mç. 2, n.º 307 a 309.

Portugal, Torre do Tombo, Erário Régio (F), Casa das Obras e Paços Reais (SSSC), liv. 81 a 83A, 107; Convento de Mafra (SSSC).

Portugal, Torre do Tombo, Ministério das Finanças, cx. 2237, inv. n.º 246.

Portugal, Torre do Tombo, Ministério do Reino, liv. 361; Correspondência do Provedor da Casa das Obras e Paços Reais (SR), mç. 281.

Portugal, Torre do Tombo, Secretaria de Estado dos Negócios Eclesiásticos e da Justiça mç. 167, n.º 3, livro 6.

Portugal, Torre do Tombo, Manuscritos da Livraria, n.º 66 - "Relação de religiosos [da Província da Arrábida?]".

Portugal, Torre do Tombo, Manuscritos da Livraria, n.º 402 - "Livro das protestações dos noviços do Real Convento de Nossa Senhora e Santo António junto à vila de Mafra"
Creation date
4/5/2011 12:00:00 AM
Last modification
1/7/2020 9:44:26 AM