Convento e Seminário de Santo António do Varatojo

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/TT/CSAV
Title type
Atribuído
Date range
1672 Date is certain to 1910 Date is certain
Dimension and support
22 liv.; papel
Biography or history
O Convento e Seminário de Santo António do Varatojo era masculino, e pertencia à Ordem dos Frades Menores, inicialmente aos religiosos observantes da Província de Portugal, depois à Província dos Algarves e finalmente aos Missionários Apostólicos.

Em 1470, foi fundado nos arredores da vila de Torres Vedras, na aldeia de Varatojo, provavelmente, por iniciativa do rei D. Afonso V em cumprimento do voto que fizera a Santo António e São Francisco de Assis se o auxiliassem nas conquistas do Norte de África, e que para o efeito, comprou uma quinta a Luís Gonçalves, escudeiro de D. Pedro de Aragão. O rei lançou a primeira pedra da igreja, e encarregou as obras a Diogo Gonçalves Lobo, que fôra vedor da Casa da Rainha.

Em 1472 recebeu a bula papal "Ad decorem sacrae religionis", dirigida ao Vigário Provincial da Observância portuguesa.

Em 1474, foi inaugurado, e frei João da Póvoa tomou posse do Convento, mandando vir religiosos observantes da Província de Portugal do Convento de Alenquer. O primeiro guardião foi frei Álvaro de Alenquer.

O Convento albergaria, no máximo, vinte e cinco frades.

Os reis dedicaram-lhe especial atenção. D. Afonso V tinha um aposento no Convento, e concedeu privilégios especiais aos terceiros que auxiliassem os frades no peditório para o sustento da comunidade. D. João III e a rainha D. Catarina fizeram obras de ampliação, merecendo, por isso, o título de segundos fundadores.

Em 1503, por deliberação da Congregação dos Observantes, passou a ser casa de noviciado.

Em 1532, passou à Província dos Algarves.

Em 1680, foi entregue a frei António das Chagas, a fim de ser destinado a seminário de Missões, ficando imediatamente sujeito ao Ministro Geral da Ordem.

Deste Convento partiram os fundadores de outras quatro casas de missionários apostólicos, de Brancanes, Vinhais, Mesão Frio e Falperra. Todas estavam directamente dependentes do Ministro Geral.

Em 1807, o convento foi saqueado pelas tropas francesas e foi nele improvisado um quartel durante as invasões.

Em 1833, os religiosos (21 sacerdotes, 6 irmãos leigos e 6 irmãos donatos) fugiram e dispersaram-se temendo violências políticas.

No mesmo ano de 1833, a 2 de Novembro por decreto régio o convento foi suprimido e feito o arrolamento dos seus bens.

Os bens foram incorporados nos Próprios da Fazenda Nacional.
Custodial history
No final do século XIX, os livros 13 a 16 e 20 a 22 foram remetidos pela Direcção Geral dos Próprios Nacionais à Torre do Tombo.

Em 1912, os restantes livros que se encontravam na Biblioteca Nacional, foram remetidos pela Inspecção Geral das Bibliotecas e Arquivos Públicos à Torre do Tombo, (liv. 1 a 15).

Em 1913, a 19 de Julho, parte da documentação foi enviada pela Inspecção Geral das Bibliotecas e Arquivos Públicos à Torre do Tombo.

A documentação foi sujeita a tratamento arquivístico, no final da década de 1990, empreendido por técnicos da Torre do Tombo e por investigadores externos. Foi abandonada a arrumação geográfica por nome das localidades onde se situavam os conventos ou mosteiros, para adoptar a agregação dos fundos por ordens religiosas. Desta intervenção resultou o facto de cada ordem religiosa passar a ser considerada como grupo de fundos, e simultaneamente como fundo, constituído a partir da documentação proveniente da casa-mãe ou provincial, alteração esta que provocou a alteração de cotas nos fundos intervencionados.

Foram constituídas séries documentais segundo o princípio da ordem original sempre que possível (com base em índices de cartórios quando existentes), correspondendo à tipologia formal dos actos, e que, na generalidade, é documentação que se apresenta em livro. A documentação que se encontra instalada em maços foi considerada como uma colecção ao nível da série, com a designação de 'Documentos vários', não tendo sido objecto de intervenção.

Este projecto deu origem à publicação da monografia designada 'Ordens monástico-conventuais: inventário', com a coordenação de José Mattoso e Maria do Carmo Jasmins Dias Farinha.
Scope and content
Contém inventários do Convento e Seminário elaborados para apresentar a Capítulo, o registo dos frades moradores e frades defuntos da Congregação, registos de obras realizadas, de acrescentos da livraria e de outras oficinas do Convento; o livro 21 inclui um inventário do Convento depois de erigido o Seminário dos Missionários Apostólicos em 1680, o livro 22 corresponde a um inventário dos papéis considerados de importância que estavam no arquivo; contém também registos de esmolas dadas ao seminário, assentos de missas, livros de receita e despesa, o registo de despesa do Colégio, o assento de esmolas entregues ao Seminário, requisições da livraria do Convento.

Inclui os subfundos da Pia União de Santo António, da Ordem Terceira de São Francisco e da Congregação da Juventude Antoniana.

Fundos Eclesiásticos; Ordem dos Frades Menores
Arrangement
Organização em séries documentais correspondendo à tipologia formal dos actos.
Other finding aid
ARQUIVO NACIONAL DA TORRE DO TOMBO - [Base de dados de descrição arquivística]. [Em linha]. Lisboa: ANTT, 2000- . Disponível no Sítio Web e na Sala de Referência da Torre do Tombo. Em actualização permanente.

INSTITUTO DOS ARQUIVOS NACIONAIS/TORRE DO TOMBO - "Ordens monástico-conventuais: inventário: Ordem de São Bento, Ordem do Carmo, Ordem dos Carmelitas Descalços, Ordem dos Frades Menores, Ordem da Conceição de Maria." Coord. José Mattoso, Maria do Carmo Jasmins Dias Farinha. Lisboa: IAN/TT, 2002. XIX, 438 p. ISBN 972-8107-63-3. (L 615) p. 184-188.

Inventário dos cartórios recolhidos da Biblioteca Nacional, em 1912 (L 283) f. 177.

Relação de documentos pertencentes ao cartório do Convento do Varatojo (L 287) p. 18.
Related material
Portugal, Arquivo Distrital de Braga.

Portugal, Arquivo da Província Portuguesa da Ordem Franciscana.

Portugal, Biblioteca Pública de Évora.

Complementares:

Portugal, Torre do Tombo, Ministério das Finanças, cx. 2259, inv. n.º 407.
Publication notes
"Ordens religiosas em Portugal: das origens a Trento: guia histórico". Dir. Bernardo de Vasconcelos e Sousa. Lisboa: Livros Horizonte, 2005. ISBN 972-24-1433-X. p. 315-316.
Creation date
4/5/2011 12:00:00 AM
Last modification
1/7/2020 9:44:30 AM