Convento de Santo Elói de Lisboa

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/TT/CSEL
Title type
Atribuído
Date range
1447 Date is certain to 1833 Date is certain
Dimension and support
34 liv.; perg., papel
Biography or history
O Convento de Santo Elói de Lisboa era masculino e pertencia à Congregação dos Cónegos Seculares de São João Evangelista (vulgarmente conhecidos por Lóios).

A sua fundação esteve ligada, na sua origem, ao hospital do mesmo nome, situado na freguesia de São Bartolomeu, em Lisboa, e fundado no século XIII pelo bispo de Lisboa, D. Domingos Jardo em favor de merceeiros, estudantes e clérigos de vida comum.

Em 1442, o regente infante D. Pedro, mediante licença do papa Eugénio IV, entregou a administração do Hospital de Santo Elói aos Cónegos Seculares de São João Evangelista e aí se constituiu o terceiro convento da Congregação, depois dos Conventos de Salvador de Vilar de Frades e de São Jorge de Recião, em Lamego. Foi uma das casas mais protegidas pelo poder régio e aí se realizaram por várias vezes reuniões do braço da nobreza em Cortes. A infanta Dona Catarina, irmã de D. Afonso V, foi sepultada na igreja do convento, num mausoléu mandado construir por D. Jorge da Costa, cardeal de Alpedrinha.

O Convento de Santo Elói esteve também ligado às primeiras tentativas de formação de um clero ultramarino autóctone, já que foi nesta casa que viveu e se formou o bispo D. Henrique, filho de D. Afonso, rei do Congo.

No final do século XVII, a antiga igreja de Santo Elói foi demolida, dando lugar a uma nova construção, sob a direcção do arquitecto João Antunes. Por esta época, o convento albergaria cerca de meia centena de religiosos e, em termos económicos, seria a segunda casa mais importante da Congregação, depois de Vilar de Frades.

O edifício do convento ficou muito danificado com o terramoto de 1755 e os cónegos foram provisoriamente transferidos para o Convento de São Bento de Xabregas, casa e sede da Congregação situada nos arredores de Lisboa.

Em 1834, no âmbito da "Reforma geral eclesiástica" empreendida pelo Ministro e Secretário de Estado, Joaquim António de Aguiar, executada pela Comissão da Reforma Geral do Clero (1833-1837), pelo Decreto de 30 de Maio, foram extintos todos os conventos, mosteiros, colégios, hospícios e casas de religiosos de todas as ordens religiosas, ficando as de religiosas, sujeitas aos respectivos bispos, até à morte da última freira, data do encerramento definitivo. Quando o convento foi extinto, não estava ainda concluída a sua reconstrução

Os bens foram incorporados nos Próprios da Fazenda Nacional.
Custodial history
A documentação foi remetida em distintas remessas à Torre do Tombo, pela Direcção Geral dos Próprios Nacionais, entre 1867 e 1894.

No final da década de 1990, foi abandonada a arrumação geográfica por nome das localidades onde se situavam os conventos ou mosteiros, para adoptar a agregação dos fundos por ordens religiosas.

Esta documentação foi sujeita a intervenção, finalizada cerca do ano 2004, empreendida por uma investigadora externa à Torre do Tombo, Isabel Castro Pina, que procedeu à sua descrição. Apesar de ter proposto algumas alterações, estas não chegaram a concretizar-se.
Scope and content
A documentação deste fundo é constituída por actas e decisões do Capítulo Geral, visitações, legados e obrigações, óbitos, testamentos, foros e rendas, capelas e obrigações de missas da Congregação, tombos de bens e propriedades, prazos, sentenças, e um conjunto de documentos diversos.

São mencionadas propriedades em Santo António do Tojal, Agualva, Lavradio, Alhos Vedros, Barreiro, Azeitão, Palmela, Setúbal, entre outros.

Fundos Eclesiásticos; Congregação dos Cónegos Seculares de São João Evangelista
Arrangement
Organização em séries documentais correspondendo à tipologia formal dos actos.
Other finding aid
ARQUIVO NACIONAL DA TORRE DO TOMBO - [Base de dados de descrição arquivística]. [Em linha]. Lisboa: ANTT, 2000- . Disponível no Sítio Web e na Sala de Referência da Torre do Tombo. Em actualização permanente.

"Índice [catálogo] dos livros de diversos conventos, ordens militares e outras corporações religiosas guardados no Arquivo da Torre do Tombo", Conventos Diversos, cad. 3 (Santo Elói a Teatinos) (C 270).

Relação de documentos vindos da Direcção-Geral dos Próprios Nacionais, em 14 de Maio de 1894 (organização topográfica: A-L) (C 278).
Related material
Portugal, Arquivo da Universidade de Coimbra.

Portugal, Torre do Tombo, Ministério das Finanças, Convento de Santo Elói de Lisboa, cx. 2198, inv. n.º 46.

Portugal, Torre do Tombo, Manuscritos da Livraria, n.º 186 - "Livro de Capítulos" da Congregação dos Cónegos Seculares de São João Evangelista. 1538-1545.
Publication notes
SANTA MARIA, Francisco de - 'O ceo aberto na terra: historia das sagradas congregações dos cónegos seculares de S. Jorge em Alga de Venesa & de S. João Evangelista em Portugal'. Lisboa: [s.n.],1697. p. 423-460.
TAVARES, Pedro Vilas Boas - Lóios. In 'Dicionário de história religiosa de Portugal'. Dir. Carlos Moreira de Azevedo. Lisboa: Círculo de Leitores, 2001. ISBN 972-42-2416-3. Vol. J-P, p. 149-157.
"Ordens religiosas em Portugal: das origens a Trento: guia histórico". Dir. Bernardo de Vasconcelos e Sousa. Lisboa: Livros Horizonte, 2005. ISBN 972-24-1433-X. p. 242.
Creation date
2/23/2011 12:00:00 AM
Last modification
1/7/2020 9:44:34 AM