Colegiada de São Julião de Santarém

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/TT/CSJS
Title type
Atribuído
Date range
1716 Date is certain to 1828 Date is certain
Dimension and support
37 liv.; papel
Biography or history
A Igreja Colegiada pertenceu ao arcediagado de Santarém e, sucessivamente, à diocese, arcebispado e patriarcado de Lisboa.

A igreja foi do padroado real e em 1318, a apresentação do priorado passou a pertencer à abadessa do Mosteiro de São Dinis de Odivelas, por doação de D. Dinis, dada em Frielas, a 5 de Outubro, confirmada pelo bispo D. fr. Estêvão e pelo Cabido de Lisboa, em 7 Outubro daquele ano.

Em 1851, a colegiada foi extinta de direito, a paróquia foi suprimida de facto e de direito, para todos os efeitos da administração paroquial e integrada na de Nossa Senhora da Assunção de Marvila, ficando o pároco colado da igreja paroquial suprimida de São Julião, obrigado a servir de coadjutor do pároco de Marvila, por Provisão do cardeal patriarca de 29 de Agosto de 1851, Art.º 2.º, 24.º, confirmada por Aviso Régio de 25 de Setembro de 1852.
Custodial history
Em 1848, pela Lei de 16 de Junho, e Instrução de 17 de Setembro, os bens e rendimentos das colegiadas foram aplicados para manutenção dos seminários. Em 1849, pela Lei de 27 de Dezembro, Art.º 10º, os documentos das colegiadas foram mandados guardar no cartório do seminário a que ficassem pertencendo os bens.

Em 1851, por Provisão do cardeal patriarca de 29 de Agosto, Art.º 13.º e 24.º, determinou que todos os bens e rendimentos aplicados à fábrica e guisamento da igreja suprimida, passassem para a posse e administração do seminário patriarcal, sendo incorporados na sua dotação e património. A administração dos bens e rendimentos paroquiais foi dada ao pároco colado da igreja paroquial suprimida de São Julião, Francisco Nunes da Silva, enquanto vivesse.

Pela citada Provisão, Art.º 11.º, os livros dos assentos de baptismo, casamento e restantes documentos do cartório relativos aos actos paroquiais da paróquia suprimida de São Julião de Santarém foram mandados entregar ao pároco de Nossa Senhora da Assunção de Marvila.

Embora, a referida Provisão, Art.º 16.º, determinasse que os livros, títulos e restantes documentos fossem confiados ao vigário geral de Santarém, enquanto não houvesse reitor no Seminário, em 1864, o cartório de São Julião não se encontrava no Seminário Patriarcal porque o respectivo pároco só tinha em seu poder documentos posteriores a 1600.

Não é conhecida a data da incorporação no IAN/TT

Em data desconhecida, os livros foram deslocados para o Arquivo dos Feitos Findos, anexo à Torre do Tombo, onde foram descritos. Mais tarde, regressaram ao Arquivo.

No final da década de 1990, foi abandonada a arrumação geográfica por nome das localidades onde se situava a instituição eclesiástica, para adoptar a agregação dos fundos por diocese.

Em 2014, a descrição dos livros elaborada no Arquivo dos Feitos Findos, por Teresa Saraiva, foi migrada para a base de dados, por Luísa Dias.
Scope and content
Contém livros da fazenda dos próprios da Igreja, livros do real, livros de receita de dízimos.

Guia de Fundos Eclesiásticos; Diocesanos - Lisboa - Santarém
Arrangement
Ordenação numérica das unidades de instalação (livros).
Language of the material
Latim e português
Other finding aid
ARQUIVO NACIONAL DA TORRE DO TOMBO - [Base de dados de descrição arquivística]. [Em linha]. Lisboa: ANTT, 2000- . Disponível no Sítio Web e na Sala de Referência da Torre do Tombo. Em actualização permanente.

Livros descritos no Inventário preliminar dos Livros dos Feitos Findos, 1980.
Related material
Portugal, Torre do Tombo, Gavetas, Gav. 19, mç. 1, n.º 1.
Creation date
4/7/2011 12:00:00 AM
Last modification
12/18/2014 3:52:43 PM