Colegiada de São Silvestre de Unhos

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/TT/CSSU
Title type
Atribuído
Date range
1257 Date is certain to 1596 Date is certain
Dimension and support
2 mç.; perg., papel
Biography or history
A Igreja Colegiada de São Silvestre de Unhos pertenceu ao distrito eclesiástico de Lisboa e sucessivamente, ao bispado, arcebispado e patriarcado de Lisboa.

Em 1191, por ocasião da divisão das igrejas entre o bispo e o cabido de Lisboa, a Igreja de São Silvestre de Unhos ficou a pertencer ao bispo D. Soeiro Anes.

Em 1257, D. Afonso III doou-lhe os dízimos de Vila Nova (mç.1, n.º 7).

Em 1320, vem citada num rol de igrejas do padroado real.

Em 1358, João Anes era prior de Unhos e contador do rei (mç. 1, n.º 16).

Em 1501, Lopo Gonçalves era deão da capela do duque de Coimbra e vigário perpétuo da Igreja de São Silvestre de Unhos (mç. 1, n.º 1).

Em 1594, a paróquia de São Silvestre de Unhos foi dividida por ser muito grande e ter muitos fregueses para a dimensão da igreja.

Assim a Ermida de Nossa Senhora da Encarnação do lugar da Apelação, edificada por Bartolomeu de Oliveira Botelho e sua mulher, Ana de Chaves, foi erecta em sede de paróquia por provisão pelo arcebispo D. Miguel de Castro (mç. 1, n.º 46, 51).

Em 1848,a Colegiada foi extinta pela Lei de 16 de Junho, mandada executar por Provisão do cardeal patriarca, de 17 de Setembro do mesmo ano, e pela Lei de 27 de Dezembro de 1849.
Custodial history
A arca ou caixa do cartório da Igreja vem citada numa certidão de 1604 feita pelo prior António de Frias, capelão do rei, (mç. 2, n.º 4) e no verso do (doc. 12 do mç. 1).

Em 1848, pela lei de 16 de Junho, e Instrução de 17 de Setembro, os bens e rendimentos da Colegiada foram aplicados para manutenção do Seminário Patriarcal de Lisboa. Em 1849, pela Lei de 27 de Dezembro, Artº. 10º, os documentos foram guardados no cartório do Seminário em Santarém.

Em 1862, os documentos anteriores a 1600, depositados no Seminário de Santarém, foram mandados transferir e incorporar no Arquivo da Torre do Tombo, pelo Decreto de 2 de Outubro, Art.º 2.ª Repartição da Direcção Geral dos Negócios Eclesiásticos do Ministério dos Negócios Eclesiásticos e de Justiça, e pela Portaria do Ministério do Reino de 29 de Janeiro de 1864, sendo nomeado o oficial diplomático daquele Arquivo, Roberto Augusto da Costa Campos, para os coligir e receber. Estando os documentos misturados com os das restantes colegiadas, procedeu à sua ordenação e inventariação, coadjuvado por Rafael Eduardo de Azevedo Basto, amanuense da Torre do Tombo. A entrega feita pelo Secretário do Seminário Patriarcal, Carlos Joaquim Martinho Calderon, e a incorporação ocorreram a 5 de Outubro de 1864, conforme atesta a relação assinada por Carlos Joaquim Martinho Calderon, secretário do Seminário Patriarcal, por Roberto Augusto da Costa Campos, oficial diplomático da Torre do Tombo e por Rafael Eduardo de Azevedo Basto, amanuense do Arquivo.

Os quarenta e oito documentos do século XVI, pertencentes ao maço 2 e escritos em papel, não foram sumariados por terem sido entregues depois de feito o inventário.

No final da década de 1990, foi abandonada a arrumação geográfica por nome das localidades onde se situava a instituição eclesiástica, para adoptar a agregação dos fundos por diocese.

Em 2003, os documentos do mç. 1, n.º 13, 24, 28-38, 41, 42 e mç. 2, n.º 52 passaram para o mç. 4 do fundo da Colegiada de São Julião de Frielas, n.º 1 a 17.
Scope and content
Contém o traslado de 26 de Abril de 1512, da carta de privilégio D. Manuel, dada em Saragoça a 1 de Agosto de 1498 e publicada no Mosteiro de São Domingos de Lisboa, no Domingo, dia 16 de Setembro, isentando as pessoas eclesiásticas do pagamento de sisa, dízima e portagem.

Contém também uma inquirição de testemunhas e sentenças sobre missas, sobre dízimos pagos à igreja, cartas testemunháveis de verbas de testamentos, partilhas de bens, procurações, aforamentos, emprazamentos, arrendamento, uma carta de dote e arras, o inventário dos bens da igreja, sentenças e outros documentos relativos aos bens situados em Lisboa, Santarém e Unhos.

A documentação refere Afonso Castanho, as localidades de Calva, Garajal, Espinhel, Santa Justa, Marnotas, Monte Agudo, Granja, Vale de Linhares, Vila Nova.

Alguns documentos têm selos e vestígios de selo.

Guia de Fundos Eclesiásticos; Diocesanos - Lisboa - Mafra
Arrangement
Ordenação numérica das unidades de instalação (maços).
Access restrictions
Contém documentos retirados da consulta.
Language of the material
Português e latim.
Other finding aid
ARQUIVO NACIONAL DA TORRE DO TOMBO - [Base de dados de descrição arquivística]. [Em linha]. Lisboa: ANTT, 2000- . Disponível no Sítio Web e na Sala de Referência da Torre do Tombo. Em actualização permanente.

Relação dos documentos pertencentes à Colegiada de Unhos que, em virtude do Decreto de 2 de Outubro de 1862, e da Portaria do Ministério do Reino, de 29 de Janeiro de 1864, foram transferidos do Seminário Patriarcal de Santarém para o Arquivo da Torre do Tombo, em 5 de Outubro de 1864 (C 460).
Related material
Portugal, Torre do Tombo, Cúria Patriarcal de Lisboa, mç. 1826, 1830.
Creation date
3/30/2011 12:00:00 AM
Last modification
5/22/2013 1:52:11 PM