Mosteiro de Corpus Christi de Vila Nova de Gaia

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/TT/MCCG
Title type
Atribuído
Date range
1284 Date is certain to 1879 Date is certain
Dimension and support
57 liv., 80 mç.; perg., papel
Biography or history
O Mosteiro de Corpus Christi de Vila Nova de Gaia era feminino, e pertencia à Ordem dos Pregadores (Dominicanos).

Em 1345, foi fundado por iniciativa de D. Maria Mendes Petite, filha de D. Soeiro Mendes Petite, que doou às Donas de São Domingos de Santarém umas casas que tinha em construção, para instalação de um convento. A instituição da nova casa gerou um grave litígio entre D. Maria, e o bispo D. Pedro Afonso (1343-1357) e cabido da Sé do Porto, os quais, opondo-se às pretensões da fundadora tentaram embargar a construção.

Em 1353, a 5 de Março, por bula de Inocêncio VI, D. Maria, que não desistira do seu projecto, obteve licença para fundação do convento. A juntar à dotação inicial, e de acordo com as exigências estipuladas por Inocêncio VI, em 1354, D. Maria fez uma segunda dotação ao convento de 500 libras de renda, que veio proporcionar as condições necessárias ao estabelecimento da comunidade.

Foi primeira prioresa desta casa D. Marinha Afonso Lobata, religiosa proveniente do convento das Donas de Santarém.

Em 1742, tinha 47 religiosas e três noviças.

Em 1834, no âmbito da "Reforma geral eclesiástica" empreendida pelo Ministro e Secretário de Estado, Joaquim António de Aguiar, executada pela Comissão da Reforma Geral do Clero (1833-1837), pelo Decreto de 30 de Maio, foram extintos todos os conventos, mosteiros, colégios, hospícios e casas de religiosos de todas as ordens religiosas, ficando as de religiosas, sujeitas aos respectivos bispos, até à morte da última freira, data do encerramento definitivo.

Os bens foram incorporados nos Próprios da Fazenda Nacional.

Em 1882 - uma vez que as freiras já não podiam tratar da manutenção do edifício, reactivou-se a Irmandade de Nossa Senhora do Rosário de Gusmão, com estatutos aprovados a 14 de Janeiro.

Em 1894, o mosteiro foi encerrado por morte da última freira a 5 de Janeiro.

Localização / Freguesia: Santa Marinha (Vila Nova de Gaia, Porto)
Custodial history
Em 1912, a documentação que se encontrava na Biblioteca Nacional, foi enviada pela Inspecção das Bibliotecas e Arquivos para a Torre do Tombo.

No final da década de 1990, foi abandonada a arrumação geográfica por nome das localidades onde se situavam os conventos ou mosteiros, para adoptar a agregação dos fundos por ordens religiosas.
Scope and content
Contém cartas régias, breves e sentenças apostólicas, o traslado de bula de fundação e cartas de dotação do mosteiro, documentação relativa às igrejas anexas, cartas de emprazamento, de aforamento, de doação, de venda, de escambo, de partilhas, de quitação, de renúncia de posse, instrumentos de posse, sentenças, dotes, entre outros.

A documentação refere o aluguer de celas a educandas, soldadas das criadas, o noviciado, as profissões das religiosas, os óbitos, as eleições de abadessas, e admissões de médicos e sangradores.

Guia de Fundos Eclesiásticos; Ordem dos Pregadores; Feminino
Arrangement
Ordenação numérica específica para cada tipo de unidade de instalação (livros e maços).
Other finding aid
ARQUIVO NACIONAL DA TORRE DO TOMBO - [Base de dados de descrição arquivística]. [Em linha]. Lisboa: ANTT, 2000- . Disponível no Sítio Web e na Sala de Referência da Torre do Tombo. Em actualização permanente.

Inventário dos cartórios recolhidos da Biblioteca Nacional, em 1912 (L 283) f. 193-198.
Related material
Portugal, Arquivo Distrital do Porto, Convento de Corpus Christi - Vila Nova de Gaia.

Portugal, Torre do Tombo, Ministério das Finanças, cx. 2017 e 2018.
Publication notes
"Ordens religiosas em Portugal: das origens a Trento: guia histórico". Dir. Bernardo de Vasconcelos e Sousa. Lisboa: Livros Horizonte, 2005. ISBN 972-24-1433-X. p. 394.
Creation date
06/04/2011 00:00:00
Last modification
28/08/2018 10:19:32