Mosteiro de Nossa Senhora do Desterro de Lisboa

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/TT/MNSDL
Title type
Atribuído
Date range
1786 Date is certain to 1834 Date is certain
Dimension and support
2 liv.; papel
Biography or history
O Mosteiro de Nossa Senhora do Desterro de Lisboa era masculino e pertencia à Ordem de Cister.

Em 1586, a 14 de Agosto, por carta de D. Filipe I foi concedida licença para os monges de São Bernardo fundarem o Mosteiro de Nossa Senhora do Desterro em Lisboa. Tendo o mesmo sido fundado em 1591, cujo lançamento da primeira pedra seria feito a 8 de Abril do referido ano.

Em 1750, a 10 de Agosto, com o grande incêndio do Hospital de Todos-os-Santos, foram transferidos todos os seus pacientes para o Mosteiro de Nossa Senhora do Desterro, tendo sido mais tarde transferidos para o colégio de Santo Antão. Enquanto este convento servia de hospital os frades encontravam-se alojados no palácio dos arcebispos de Lisboa, contíguo à Sé, mais conhecido por Pátio da Sé.

Em 1755, com o terramoto o mosteiro foi bastante atingido, perdendo toda a abobada da igreja, ficando apenas de pé as paredes e quase toda a frontaria.

Quando o mosteiro foi reparado os monges cistercienses voltaram a habitá-lo, até 1814, ano em que foi por eles abandonado para no edifício se instalar o hospício ou colégio dos Meninos Órfãos da Mouraria e da Casa Pia.
Custodial history
Em 1894, a 14 de Maio, a documentação foi enviada pela Direcção-Geral dos Próprios Nacionais, à Torre do Tombo.

No final da década de 1990, foi abandonada a arrumação geográfica por nome das localidades onde se situavam os conventos ou mosteiros, para adoptar a agregação dos fundos por ordens religiosas.
Scope and content
Contém um inventário (ou relação) dos livros e papeis que estavam no cartório da procuratória, e um livro (Livro da Fazenda do Desterro) de registo dos movimentos e montantes recebidos ou em dívida (inclui foros de diferentes casas, lojas, barracas, hortas, estância de lenha, fornos, entre outros, e dividas de outros institutos religiosos como era o caso de Nossa Senhora da Nazaré do Mocambo ou São Bento de Évora), e ainda, os movimentos dos pagamentos ou dividas para com outros (inclui os foros que o mosteiro pagava à Universidade de Coimbra, e dividas a particulares).

A documentação menciona bens situados em Barcarena, Bemformoso, Bemposta, Bica, Chelas, Laranjeiras, Poço dos Mouros, Portas do Desterro, Rua Direita dos Anjos, São Lázaro e São Marcos.

A documentação refere outros institutos religiosos pertencentes à ordem.

Fundos Eclesiásticos; Ordem de Cister; Masculino
Arrangement
Ordenação numérica sequencial das unidades arquivísticas (livros e maços).
Other finding aid
ARQUIVO NACIONAL DA TORRE DO TOMBO - [Base de dados de descrição arquivística]. [Em linha]. Lisboa: ANTT, 2000- . Disponível no Sítio Web e na Sala de Referência da Torre do Tombo. Em actualização permanente.

Relação de documentos vindos da Direcção-Geral dos Próprios Nacionais, em 14 de Maio de 1894, letra L (C 279), f. 14-15. Organizado topograficamente.
Related material
Portugal, Torre do Tombo, Hospital de São José, liv. 185

Portugal, Torre do Tombo, Hospital de São José, liv. 37

Portugal, Torre do Tombo, Mosteiro de São Vicente de Fora, livro vinte dos prazos
Creation date
4/4/2011 12:00:00 AM
Last modification
1/7/2020 9:45:00 AM