Mosteiro de Nossa Senhora da Rosa de Caparica

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/TT/MNSRC
Title type
Atribuído
Date range
1417 Date is certain to 1817 Date is certain
Dimension and support
8 liv., 10 mç.; perg., papel
Biography or history
O Mosteiro de Nossa Senhora da Rosa de Caparica era masculino, e pertencia à Ordem dos Eremitas de São Paulo, Primeiro Eremita.

Teve origem em eremitério fundado possivelmente ainda no séc. XIV ou nos primeiros anos da centúria seguinte, no lugar dito da Barriga, no termo de Almada, referido também, noutros documentos do séc. XV, por Cela Nova. Conforme testemunho do regedor da casa em 1445, o lugar, habitado desde a sua fundação por pobres eremitas, fora reformado por Mendo Seabra (1442?), com a ajuda dos reis D. João I e D. Duarte e do Infante D. João, mestre de Santiago. Sujeitando-o então à Serra de Ossa, nomeou o clérigo João Eanes como regedor deste eremitério e dos de Alferrara e Mendoliva, e nele colocou outros pobres.

Em 1458, pela bula "Speciali gratia", Pio II concedia-lhes a isenção do pagamento da dízima sobre os frutos das herdades da provença.

Em 1466, consta da lista das casas sujeitas à Serra de Ossa. A partir do primeiro quartel do séc. XVI, a casa já surge referida como de Santa Maria da Rosa.

A este cenóbio seriam anexados, em 1645, os bens do extinto mosteiro da Junqueira.

Em 1834, no âmbito da "Reforma geral eclesiástica" empreendida pelo Ministro e Secretário de Estado, Joaquim António de Aguiar, executada pela Comissão da Reforma Geral do Clero (1833-1837), pelo Decreto de 30 de Maio, foram extintos todos os conventos, mosteiros, colégios, hospícios e casas de religiosos de todas as ordens religiosas, ficando as de religiosas, sujeitas aos respectivos bispos, até à morte da última freira, data do encerramento definitivo.

Os bens foram incorporados nos Próprios da Fazenda Nacional.
Custodial history
Em 1883, 9 de Maio, foram transferidos os documentos do cartório da Repartição de Fazenda do Distrito de Lisboa, para o Arquivo da Torre do Tombo, no cumprimento da Portaria do Ministério da Fazenda, de 20 de Março de 1865.

No final da década de 1990, foi abandonada a arrumação geográfica por nome das localidades onde se situavam os conventos ou mosteiros, para adoptar a agregação dos fundos por ordens religiosas.

Em 2001, tendo-se verificado a não correspondência entre a cota apresentada nos documentos dos maços do convento de Nossa Senhora da Rosa da Caparica e a cota do catálogo C 354, que tornava inutilizável este auxiliar de pesquisa, foi decidido recuperar esta última por se tratar da cota original dos documentos. De acordo com a cota original escrita na margem superior de cada documento, foi reconstituída a organização e ordenação dos maços originais. Os documentos ficaram reunidos em maço 1 a 3 de pergaminhos e maço 1 e 2 de papéis.

Dado que existem mais alguns documentos com cota original, não descritos no catálogo C 354, foi decidido conservá-los com a cota que já apresentavam, quer se trate de uma outra cota original diferente da dos primeiros documentos, que se trate de uma cota recente escrita a lápis. Os documentos ficaram reunidos nos maços 3, 4, 12, 13, e 15 de papéis. No total existem 10 maços de documentos.
Scope and content
Contém cartas de aforamento, de partilhas, de quitação, de venda, de doação, cartas régias, certidões, traslados, emprazamentos, escambos, instituição de capelas, instrumentos de nomeação de vidas de prazo, inventário de bens, licenças, sentenças, testamentos, apelações, tombo do convento com escrituras relativas à gestão das propriedades entre 1557 e 1607, livros de receita, cobrança de rendimentos e livro antigo de notícias.

Fundos Eclesiásticos; Ordem dos Eremitas de São Paulo, Primeiro Eremita
Arrangement
Ordenação numérica específica para cada tipo de unidade de instalação (livros e maços). Existem maços de documentos em pergaminho (1, 2 e 3) e maços de documentos em papel (1, 2, 3, 4, 12, 13 e 15).
Other finding aid
ARQUIVO NACIONAL DA TORRE DO TOMBO - [Base de dados de descrição arquivística]. [Em linha]. Lisboa: ANTT, 2000- . Disponível no Sítio Web e na Sala de Referência da Torre do Tombo. Em actualização permanente.

Relação de documentos vindos da Direcção-Geral dos Próprios Nacionais, em 14 de Maio de 1894 (organização topográfica: L) (C 279) f. 25, 32, 35.

Relação dos documentos pertencentes ao extinto Convento do Santíssimo Sacramento de religiosos paulistas de Lisboa que, em virtude da Portaria do Ministério da Fazenda, de 20 de Março de 1865, foram transferidos do cartório da Repartição de Fazenda do Distrito de Lisboa, para o Arquivo da Torre do Tombo, em 9 de Maio de 1883 (C 354).

Tabela de equivalência dos documentos dos maços do Convento de Nossa Senhora da Rosa da Caparica (L 657).
Related material
Portugal, Biblioteca Pública de Évora.

Portugal, Torre do Tombo, Colecção Especial

Portugal, Torre do Tombo, Manuscritos da Livraria, n.º 550.

Portugal, Torre do Tombo, Ministério das Finanças, cx. 2203 , inv. n.º 81.

Portugal, Torre do Tombo, Mosteiro do Santíssimo Sacramento de Lisboa
Publication notes
"Ordens religiosas em Portugal: das origens a Trento: guia histórico". Dir. Bernardo de Vasconcelos e Sousa. Lisboa: Livros Horizonte, 2005. ISBN 972-24-1433-X. p.142.
Creation date
4/4/2011 12:00:00 AM
Last modification
1/7/2020 9:45:01 AM