Mosteiro de São Domingos de Benfica

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/TT/MSDB
Title type
Atribuído
Date range
1578 Date is certain to 1834 Date is certain
Dimension and support
13 liv., 5 mç.; papel
Biography or history
O Mosteiro de São Domingos de Benfica era masculino, e pertencia à Ordem dos Pregadores (Dominicanos).

Em 1399, foi fundado, sendo o primeiro convento de dominicanos observantes em Portugal, por vontade de Frei Vicente de Lisboa de acordo com os princípios da reforma, e foi também sede da observância portuguesa. Foi construído em Benfica, numa quinta onde se situavam os paços reais doados por D. João I à Ordem dos Pregadores a pedido de Frei Vicente de Lisboa, do Doutor João das Regras, cujo túmulo é um dos vestígios da igreja primitiva. Estes paços correspondiam a uma modesta casa de campo que tinha pertencido a D. Dinis.

Em 1399, em 29 de Maio, no dia da festa do Corpo de Deus, Frei Vicente de Lisboa tomou posse da quinta e dos paços. Agraciado desde os primeiros tempos por D. João I, o convento foi-se mantendo sob protecção régia.

Em 1487, D. João II doou aos dominicanos de Benfica uma quinta, junto à Ericeira, fonte principal do sustento da comunidade.

Em 1551, habitavam no convento trinta e três frades professos e seis servidores. Tinha, ainda, cinco capelas com missas quotidianas e a sua renda valia dois mil e quinhentos cruzados.

Frei João de Santo Estêvão doou muitos livros ao convento. D. Álvaro de Castro doou-lhe o rendimento de uma quinta em Nossa Senhora da Luz.

Passaram por este mosteiro Frei Bartolomeu dos Mártires, Frei Luís de Sousa, e João de Castro, sepultado numa das capelas.

No século XVII todo o edifício ameaçava ruína, e por iniciativa do prior do mosteiro, frei João Vasconcelos, foi construída uma nova igreja.

Em 1755, com o terramoto, a nova igreja ficou danificada, sendo reconstruída graças ao amor e devoção dos frades.

Em 1818 a livraria conventual ardeu, por completo, perdendo-se assim livros e documentos preciosos.

Em 1834, no âmbito da "Reforma geral eclesiástica" empreendida pelo Ministro e Secretário de Estado, Joaquim António de Aguiar, executada pela Comissão da Reforma Geral do Clero (1833-1837), pelo Decreto de 30 de Maio, foram extintos todos os conventos, mosteiros, colégios, hospícios e casas de religiosos de todas as ordens religiosas, ficando as de religiosas, sujeitas aos respectivos bispos, até à morte da última freira, data do encerramento definitivo.

Os bens foram incorporados nos Próprios da Fazenda Nacional.

Localização / Freguesia: São Domingos de Benfica (Lisboa, Lisboa)
Custodial history
Em 1865, a 20 de Junho, em virtude das Portarias de 26 de Novembro de 1863 e de 24 de Agosto de 1864, os documentos pertencentes aos extintos Conventos de São Domingos de Benfica e de Santo António da Convalescença foram transferidos do cartório da Direcção Geral dos Próprios Nacionais para o Arquivo da Torre do Tombo, conforme atesta a relação assinada por António Manuel Garcia, 2.º oficial arquivista do Arquivo da Direcção-Geral dos Próprios Nacionais, e por Roberto Augusto da Costa Campos, oficial diplomático da Torre do Tombo.

Em 1894, a 14 de Maio, os documentos que se encontravam na Direcção-Geral dos Próprios Nacionais foram incorporados na Torre do Tombo conforme atesta a relação assinada por A. J. Campos de Magalhães e por Roberto Augusto da Costa Campos, inspector dos arquivos públicos.

No final da década de 1990, foi abandonada a arrumação geográfica por nome das localidades onde se situavam os conventos ou mosteiros, para adoptar a agregação dos fundos por ordens religiosas.
Scope and content
Contém livros de rendimento e despesa, escrituras, escrituras de emprazamentos, documentos sobre empréstimos de dinheiro, documentos de capelas, testamentos, documentos sobre propriedades, recibos, vales para géneros alimentícios, certidões, contas, relações do dinheiro, procurações, breves, alvarás, privilégios, demandas, excomunhões, provisões, posses, pareceres, sentenças, quitações de missas, entre outros.

A documentação refere o Papa Pio VI, Francisco Roque, António Correia Barem, Francisco Gomes, Pedro de Santarém de Albuquerques, Francisco de Jesus Maria, D. Mariana de Sequeira Torre.

A documentação menciona bens situados em Manteigas, e no Lugar do Calhariz na Buraca.

Fundos Eclesiásticos; Ordem dos Pregadores; Masculino
Arrangement
Ordenação numérica específica para cada tipo de unidade de instalação (livros e maços).
Other finding aid
ARQUIVO NACIONAL DA TORRE DO TOMBO - [Base de dados de descrição arquivística]. [Em linha]. Lisboa: ANTT, 2000- . Disponível no Sítio Web e na Sala de Referência da Torre do Tombo. Em actualização permanente.

Relação de documentos vindos da Direcção-Geral dos Próprios Nacionais, em 14 de Maio de 1894 (organização topográfica: A-L) (C 278) f. 82-86.

Relação dos documentos pertencentes aos extintos Conventos de São Domingos de Benfica e de Santo António da Convalescença que, em virtude das Portarias de 26 de Novembro de 1863 e de 24 de Agosto de 1864, foram transferidos do cartório da Direcção Geral dos Próprios Nacionais para o Arquivo da Torre do Tombo, em 20 de Junho de 1865 (C 302) f. 2-19.
Related material
Portugal, Torre do Tombo, Ministério das Finanças, cx. 2200, inv. n.º 53.
Publication notes
"Ordens religiosas em Portugal: das origens a Trento: guia histórico". Dir. Bernardo de Vasconcelos e Sousa. Lisboa: Livros Horizonte, 2005. ISBN 972-24-1433-X. p. 386.
Creation date
4/6/2011 12:00:00 AM
Last modification
1/7/2020 9:45:04 AM