Mosteiro do Salvador de Lisboa

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/TT/MSL
Title type
Atribuído
Date range
1307 Date is certain to 1918 Date is certain
Dimension and support
13 liv., 36 mç.; perg., papel
Biography or history
O Mosteiro do Salvador de Lisboa era feminino, e pertencia à Ordem dos Pregadores (Dominicanos).

Era também designado por Mosteiro ou Convento do Santíssimo Rei Salvador.

Em 1392, foi fundado por D. João de Azambuja, bispo do Porto, com participação de Frei Vicente de Lisboa, por licença apostólica concedida na bula de Bonifácio IX, de 13 de Março de 1391, no âmbito da qual a igreja do Salvador foi transformada em mosteiro de religiosas dominicanas. Em 1391, a 1 de Julho, D. João I doou o padroado da igreja ao Mosteiro.

Em 1396, a 29 de Novembro, D. João de Azambuja, entregou as Constituições à comunidade, nas quais se prescrevia a clausura e a sujeição aos dominicanos, conforme os Estatutos da Ordem e o modo de vida do Convento de São Sisto de Roma.

Cerca de 1461, esta disposição originou um longo diferendo entre a comunidade e o arcebispo de Lisboa, D. Afonso Nogueira, estando em causa a dependência aos Observantes ou ao Provincial dos Frades Pregadores.

O Mosteiro do Salvador de Lisboa foi o primeiro convento feminino da Observância em Portugal.

Em 1415, por ocasião da morte de D. João de Azambuja, que foi sepultado no convento, não estavam ainda concluídas as obras de construção do edifício. Em 1438, as obras terminaram por intervenção da rainha D. Leonor, mulher de D. Duarte.

Em 1551, a comunidade era composta por oitenta freiras e quinze servidores e o convento dispunha de uma renda anual de mil e cem cruzados.

Em 1834, no âmbito da "Reforma geral eclesiástica" empreendida pelo Ministro e Secretário de Estado, Joaquim António de Aguiar, executada pela Comissão da Reforma Geral do Clero (1833-1837), pelo Decreto de 30 de Maio, foram extintos todos os conventos, mosteiros, colégios, hospícios e casas de religiosos de todas as ordens religiosas, ficando as de religiosas, sujeitas aos respectivos bispos, até à morte da última freira, data do encerramento definitivo.

Os bens foram incorporados nos Próprios da Fazenda Nacional.

Em 1884, o mosteiro foi encerrado por morte da última freira.

Localização / Freguesia: Santo Estêvão (Lisboa, Lisboa)
Custodial history
Em 1863 a 21 de Outubro, em virtude do Decreto de 2 de Outubro de 1862 e Portaria de 9 de Julho de 1863, os documentos pertencentes ao Convento do Salvador foram recebidos no Convento e transferidos para o Arquivo da Torre do Tombo. Relação assinada por Roberto Augusto da Costa Campos, oficial diplomático encarregado de receber os cartórios, e pela subprioresa, soror Tomásia Margarida do Carmo.

Grande parte dos documentos apresenta uma numeração, não sequencial, a tinta encarnada, uma assinatura não identificada.

No final da década de 1990, foi abandonada a arrumação geográfica por nome das localidades onde se situavam os conventos ou mosteiros, para adoptar a agregação dos fundos por ordens religiosas.
Acquisition information
Em 1981, a 24 de Janeiro, um documento foi comprado à Livraria Histórica Ultramarina: Carta de emprazamento em três vidas feito pelo Mosteiro do Salvador de Lisboa, a Fernando Anes de um casal em Sintra, denominado Alfouvara Grande, 1511-10-20, perg., 65x35.
Scope and content
Contém livros de escrituras, de profissões, de receita e despesa, de obrigações de capelas, de foros e rendas, de prazos, bulas e sentenças, cartas régias, cartas de doação, de venda, de sesmaria, de renúncia e de provimento de benefícios eclesiásticos, instrumentos de posse, documentação relativa à Confraria dos Clérigos de Torres Novas, licenças do cabido da Sé de Lisboa, alvarás do arcebispo de Lisboa, instrumento de obrigação dos fregueses de Benfica para a construção da igreja de São Roque, correspondência recebida de Roma, licenças do Vigário-Geral da Província dos Pregadores, provisão do Núncio Apostólico.

Inclui alguns traslados dos sécs. XVI-XVIII de bulas pontifícias anteriores e outros documentos do convento dos sécs. XV-XVI, diversas memórias sobre o convento e a sua fundação e cópias das Constituições do séc. XV.

A documentação refere o rei D. João I, D. João arcebispo de Lisboa, Bonifácio IX, Pio II, Alexandre V, Sisto IV, Sisto V, João Gonçalves da Câmara, Clara Martins, Maria Afonso, Afonso Miz, Afonso Esteves, Jorge d' Albuquerque, Luís Anes, Pero Botelho, D. Paula, Isabel de Paiva.

São mencionados bens localizados nos termos de Alcáçova, Alcochete, Alhos Vedros, Aldeia Galega, Alenquer, Almada, Almarjão, Almeirim, Alvalade, Ameixoeira, Arrentela, Arroios, Azeitão, Azóia, Benfica, Cascais, Chelas, Sintra, Coina, Santa Iria, Lisboa, São João da Talha, Loures, Lumiar, Montijo, Monsanto, Monte Agraço, Montemor-o-Novo, Oeiras, Santarém, Sacavém, Torres Novas, Torres Vedras, Valverde, Vale de Casalinho, Xabregas, entre outros.

Guia de Fundos Eclesiásticos; Ordem dos Pregadores; Feminino
Arrangement
Ordenação numérica específica para cada tipo de unidade de instalação (livros e maços).

Os documentos reunidos em maços foram divididos em maços de documentos em pergaminho (mç. 1 a 27) e em papel (mç. 29 a 36). Dentro destes foram separados os documentos relativos a propriedades, de outros relativos a diversos assuntos. Os documentos relativos a propriedades foram ordenados alfabeticamente pela localidade onde se encontravam os bens, e numa segunda ordem (menos rigorosa) de forma cronológica.
Other finding aid
ARQUIVO NACIONAL DA TORRE DO TOMBO - [Base de dados de descrição arquivística]. [Em linha]. Lisboa: ANTT, 2000- . Disponível no Sítio Web e na Sala de Referência da Torre do Tombo. Em actualização permanente.

Relação dos documentos pertencentes ao Convento do Salvador que, em virtude do Decreto de 2 de Outubro de 1862 e Portaria de 9 de Julho de 1863, foram transferidos para o Arquivo da Torre do Tombo, recebidos no Convento, em 21 de Outubro de 1863 (L 296).
Related material
Portugal, Biblioteca Nacional.

Portugal, Torre do Tombo, Ministério das Finanças, cx. 1971 e 1972.
Publication notes
"Ordens religiosas em Portugal: das origens a Trento: guia histórico". Dir. Bernardo de Vasconcelos e Sousa. Lisboa: Livros Horizonte, 2005. ISBN 972-24-1433-X. p. 394-395
Creation date
06/04/2011 00:00:00
Last modification
28/08/2018 11:25:22