Mosteiro de Santa Maria de Bouro

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/TT/MSMTB
Title type
Atribuído
Date range
1469 Date is certain to 1829 Date is certain
Dimension and support
2 liv., 1 mç.; papel, perg.
Biography or history
O Mosteiro de Santa Maria de Terras de Bouro era masculino e pertencia à Ordem de Cister.

De origem eremítica, o Mosteiro esteve inicialmente sob a invocação de São Miguel (1148); a partir de 1153, surge identificado pela dupla invocação de Santa Maria e São Miguel de Bouro.

Tendo adoptado a observância beneditina, em finais do século XII, talvez cerca de 1195, a comunidade foi filiada à Ordem de Cister, sendo mencionada, pela primeira vez, nas actas do Capítulo Geral de Cister de 1208.

Bem dotada e gozando do apoio régio, a abadia prosperou rapidamente, chegando um dos seus abades, de inícios do século XIII, a ter pretensões sobre Alcobaça.

No "Catálogo de todas as igrejas, comendas e mosteiros que havia nos reinos de Portugal e Algarves, pelos anos de 1320 e 1321", surge taxado em 2000 libras, e pertencendo ao bispado do Porto.

Em finais do século XIV, a abadia destacou-se num combate em Portela do Homem, contra as tropas castelhanas que, em 1384, invadiram Portugal.

Como outros Mosteiros, era uma abadia "nullius diocesis", em que o abade dispunha de prerrogativas quase episcopais.

No início do século XVI, entregue a abades comendatários, o Mosteiro atravessou um grave período de decadência.

Em Janeiro de 1533, por ocasião da visita do abade de Claraval, viviam no mosteiro seculares de ambos os sexos e a vida comunitária encontrava-se completamente desregrada.

Em 1567, a observância foi restaurada, com a integração do Mosteiro na Congregação de Alcobaça.

Em 1692, o mosteiro tinha 34 monges.

Em 1834, no âmbito da "Reforma geral eclesiástica" empreendida pelo Ministro e Secretário de Estado, Joaquim António de Aguiar, executada pela Comissão da Reforma Geral do Clero (1833-1837), pelo Decreto de 30 de Maio, foram extintos todos os conventos, mosteiros, colégios, hospícios e casas de religiosos de todas as ordens religiosas, ficando as de religiosas, sujeitas aos respectivos bispos, até à morte da última freira, data do encerramento definitivo.

Os bens foram incorporados nos Próprios da Fazenda Nacional.
Custodial history
Em 1867, foi incorporado no Arquivo da Torre do Tombo um livro deste fundo.

Ainda não é conhecida a história custodial de documentação em maço.

No final da década de 1990, foi abandonada a arrumação geográfica por nome das localidades onde se situavam os conventos ou mosteiros, para adoptar a agregação dos fundos por ordens religiosas.

Em 2013, em outubro, um livro foi adquirido por compra no Leilão de “Biblioteca Particular” realizado por José Otium Leilões.
Scope and content
Contém um livro de registo das entradas e termos das profissões dos noviços no Mosteiro, e um livro de visitas. Parte destes registos são o traslado, feito a 7 de Março de 1603, de um outro livro que existia no cartório do Mosteiro (entradas - 10 de Maio de 1582 a 16 de Abril de 1711, profissões - 26 de Dezembro de 1583 a 28 de Abril de 1709). Esta unidade de instalação contém também o traslado de um documento do papa Clemente VIII, datado 2 de Abril de 1602.

O documento feito em Braga, a 21 de Abril de 1469, corresponde a um traslado em pública-forma da carta de privilégio de D. Afonso V, dada a 20 de Setembro de 1447, pela qual o Mosteiro e os demais da Ordem podiam possuir herdades e reguengos como heranças.

Fundos Eclesiásticos; Ordem de Cister; Masculino
Arrangement
Ordenação numérica específica para cada tipo de unidade de instalação (livros e maços).
Language of the material
Latim, português
Other finding aid
ARQUIVO NACIONAL DA TORRE DO TOMBO - [Base de dados de descrição arquivística]. [Em linha]. Lisboa: ANTT, 2000- . Disponível no Sítio Web e na Sala de Referência da Torre do Tombo. Em actualização permanente.

Índice (inventário) dos livros de diversos conventos, ordens militares e outras corporações religiosas guardadas no Arquivo da Torre do Tombo, Conventos Diversos, caderneta 2 (B-D) (C 269), f. 11.
Related material
Portugal, Arquivo Distrital de Braga.

Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V, liv. 15, f. 6v

Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V, liv. 15, f. 34v

Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V, liv. 17, f. 1

Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V, liv. 22, f. 94

Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V, liv. 22, f. 79

Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V, liv. 31, f. 136

Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 44, n.º 100

Portugal, Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte I, mç. 83, n.º 18

Portugal, Torre do Tombo, Ministério das Finanças, cx. 2200, inv. n.º 57
Publication notes
"Ordens religiosas em Portugal: das origens a Trento: guia histórico". Dir. Bernardo de Vasconcelos e Sousa. Lisboa: Livros Horizonte, 2005. ISBN 972-24-1433-X. p. 112-113.
Creation date
4/4/2011 12:00:00 AM
Last modification
1/7/2020 9:45:16 AM