Colegiada de São Mateus de Santarém

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/TT/CSMS
Title type
Atribuído
Date range
1269 Date is certain to 1705 Date is certain
Dimension and support
1 liv., 2 mç.; perg., papel
Biography or history
A Igreja colegiada pertenceu ao arcediagado de Santarém e, sucessivamente, à diocese, arcebispado e patriarcado de Lisboa.

Em 1320, pertencia ao padroado real.

O priorado passou, depois, a ser apresentado pelos duques de Cadaval.

Em 1851, a colegiada foi extinta, a paróquia foi suprimida de facto e de direito, para todos os efeitos da administração paroquial, a igreja foi secularizada por Provisão do cardeal patriarca de 29 de Agosto de 1851, Art.º 2.º, 12.º e 9.º, confirmada por Aviso Régio de 25 de Setembro de 1852.
Custodial history
Em 1848, pela Lei de 16 de Junho, e Instrução de 17 de Setembro, os bens e rendimentos das colegiadas foram aplicados para manutenção dos seminários. Em 1849, pela Lei de 27 de Dezembro, Art.º 10º, os documentos das colegiadas foram mandados guardar no cartório do seminário a que ficassem pertencendo os bens.

Em 1851, por Provisão do cardeal patriarca de 29 de Agosto, Art.º 13.º, todos os bens, e rendimentos pertencentes à paróquia e colegiada suprimidas foram aplicados ao seminário patriarcal e incorporados na sua dotação e património.

Pela mesma Provisão, Art.º 16.º, os livros, títulos e restantes documentos foram confiados ao vigário geral de Santarém, enquanto não houvesse reitor no Seminário, na sequência do estabelecido em 1849, pela Lei de 27 de Dezembro, Art.º 10º, que mandava guardar os documentos no cartório do Seminário em Santarém.

Em 1862, os documentos das Colegiadas de São Mateus, de Santa Iria, de São Martinho, de Nossa Senhora de Marvila, de São Nicolau, todas de Santarém, anteriores a 1600, depositados no Seminário Patriarcal de Santarém, foram mandados transferir e incorporar no Arquivo da Torre do Tombo, pelo Decreto de 2 de Outubro, Art.º 2.º, da 2.ª Repartição da Direcção Geral dos Negócios Eclesiásticos do Ministério dos Negócios Eclesiásticos e de Justiça, e pela Portaria do Ministério do Reino de 29 de Janeiro de 1864, sendo nomeado o oficial diplomático daquele Arquivo, Roberto Augusto da Costa Campos, para os coligir e receber. Estando os documentos misturados com os das restantes colegiadas, procedeu à sua ordenação e inventariação, coadjuvado por Rafael Eduardo de Azevedo Basto, amanuense da Torre do Tombo. A entrega dos documentos feita pelo secretário do Seminário Patriarcal, Carlos Joaquim Martinho Calderon, e a sua incorporação na Torre do Tombo ocorreram a 5 de Outubro de 1864, conforme atesta a relação assinada por Carlos Joaquim Martinho Calderon, Roberto Augusto da Costa Campos, Rafael Eduardo de Azevedo Basto.

Em data desconhecida, os livros foram deslocados para o Arquivo dos Feitos Findos, anexo à Torre do Tombo, onde foram descritos. Mais tarde, regressaram ao Arquivo.

No final da década de 1990, foi abandonada a arrumação geográfica por nome das localidades onde se situava a instituição eclesiástica, para adoptar a agregação dos fundos, por Teresa Saraiva, foi migrada para a base de dados. A cota dos livro permaneceu inalterada.
Scope and content
Contém uma certidão de dois documentos do rei D. Afonso III, tirada do arquivo da Sé de Lisboa, pelo escrivão da fazenda do cabido, o cónego António André (1705), a carta do limite da igreja, mandada fazer pelo arcebispo de Lisboa, D. Jorge, para pôr fim aos conflitos entre as igrejas de Santarém, o tombo das propriedades mandado fazer por um capítulo de visitação realizada pelo Licenciado André Jorge, capelão do cardeal infante e visitador das igrejas de Santarém no ano de 1535, ao qual foram acrescentados um título da prata e outro relativo aos paramentos da igreja, livros de visitações, sentenças sobre dízimos, testamentos, documentos relativos a bens em Santarém e seu termo.

A documentação refere D. António de Ataíde, conde de Monsanto e comendador da Igreja de Santa Maria da Alcáçova, as Igrejas de São Nicolau, de São Martinho, o vigário e beneficiados das Igrejas de Santa Cruz e de Santa Iria, a Confraria do Santíssimo Sacramento da Igreja de São Mateus, o Convento de São Francisco de Santarém.

Guia de Fundos Eclesiásticos; Diocesanos - Lisboa - Santarém
Arrangement
Ordenação numérica específica para cada tipo de unidade de instalação (livro e maços).
Access restrictions
Contém documento retirado da consulta.
Other finding aid
ARQUIVO NACIONAL DA TORRE DO TOMBO - [Base de dados de descrição arquivística]. [Em linha]. Lisboa: ANTT, 2000- . Disponível no Sítio Web e na Sala de Referência da Torre do Tombo. Em actualização permanente.

Relação dos documentos pertencentes aos cartórios das Colegiadas de Santarém: São Mateus, Santa Iria, São Martinho, Nossa Senhora de Marvila, São Nicolau que, em virtude do Decreto de 2 de Outubro de 1862, e da Portaria do Ministério do Reino, de 29 de Janeiro de 1864, foram transferidos do Seminário Patriarcal de Santarém para o Arquivo da Torre do Tombo, em 5 de Outubro de 1864 (C 421) f. 3-58.

Inventário preliminar dos Livros dos Feitos Findos, 1980, p. 178.
Related material
Portugal, Torre do Tombo, Câmara Eclesiástica de Lisboa, mç. 1826, processos de casamento.

Portugal, Torre do Tombo, Gavetas, Gav. 19, mç. 3, n.º 57, f. 225.
Creation date
4/1/2011 12:00:00 AM
Last modification
12/18/2014 3:47:56 PM