Convento da Santíssima Trindade de Santarém

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/TT/CSTSN
Title type
Atribuído
Date range
1218 Date is certain to 1828 Date is certain
Dimension and support
20 liv., 46 mç.; perg., papel
Biography or history
O Convento da Santíssima Trindade de Santarém era masculino, e pertencia à Ordem da Santíssima Trindade para a Redenção dos Cativos.

Foi o primeiro convento da Ordem a ser fundado em Portugal.

Em 1207, D. Sancho I, ciente da necessidade da presença da Ordem no país, cedeu-lhe para culto a ermida da Senhora da Abóbada, em Santarém.

Em 1208, os trinitários viviam no paço real enquanto começaram as obras de construção do convento, junto à ermida dedicada a Santa Maria dos Santos. Com a morte de D. Sancho I, principal benfeitor dos trinitários, as obras foram-se arrastando.

Em 1284, iniciou-se a construção da nova igreja. Juntamente com o convento foi fundado um hospital para receber cativos resgatados e outros pobres ou peregrinos.

Segundo a cronística da Ordem, perto deste convento existiria um recolhimento ou comunidade de reclusas que participavam em alguns ofícios religiosos na igreja dos trinitários, traziam o hábito desta ordem e teriam chegado mesmo a observar os seus estatutos e a designar-se por trinitárias. Está comprovada a existência de comunidades de reclusas em Santarém, embora não seja possível saber com segurança qual a regra ou espiritualidade que seguiam.

O património do convento concentrava-se no termo de Santarém, estendendo-se por outras localidades, como Coimbra, Leiria, Óbidos, Cadaval, Alenquer, Montemor-o-Novo e Évora, e Alvito onde a Ordem dos Trinitários gozava de especiais privilégios e detinha extensas propriedades.

No "Catálogo de todas as igrejas, comendas e mosteiros que havia nos reinos de Portugal e Algarves, pelos anos de 1320 e 1321", o Convento de Santarém foi taxado em 400 libras, referindo-se explicitamente que incluía as rendas que detinha em Alvito, do bispado de Évora.

Em 1834, no âmbito da "Reforma geral eclesiástica" empreendida pelo Ministro e Secretário de Estado, Joaquim António de Aguiar, executada pela Comissão da Reforma Geral do Clero (1833-1837), pelo Decreto de 30 de Maio, foram extintos todos os conventos, mosteiros, colégios, hospícios e casas de religiosos de todas as ordens religiosas, ficando as de religiosas, sujeitas aos respectivos bispos, até à morte da última freira, data do encerramento definitivo.

Os bens foram incorporados nos Próprios da Fazenda Nacional.
Custodial history
Em 1869, 8 de Abril, em virtude das Portarias de 26 de Novembro de 1863 e 24 de Agosto de 1864, foram transferidos do cartório da Direcção-Geral dos Próprios Nacionais para o Arquivo da Torre do Tombo, os documentos pertencentes ao extinto Convento da Trindade de Santarém, descritos na relação assinada por António Manuel Garcia, 2.º oficial arquivista do Arquivo da Direcção-Geral dos Próprios Nacionais e por Roberto Augusto da Costa Campos, oficial diplomático da Torre do Tombo.

Em 1871, a 1 de Abril, a documentação vinda da Direcção-Geral dos Próprios Nacionais foi incorporada na Torre do Tombo.

Parte da documentação esteve integrada na designada Colecção Especial. Entre os anos de 1938 e 1990, sempre que possível e considerando a sua proveniência, a documentação foi reintegrada nos fundos, numa tentativa de reconstituição dos cartórios de origem. Estes documentos foram ordenados cronologicamente, constituídos maços com cerca de 40 documentos, aos quais foi dada uma numeração sequencial.

No final da década de 1990, foi abandonada a arrumação geográfica por nome das localidades onde se situavam os conventos ou mosteiros, para adoptar a agregação dos fundos por ordens religiosas.

Parte da documentação do Convento da Santíssima Trindade de Santarém encontrava-se no Arquivo Histórico do Ministério das Finanças (instalado no edifício do extinto Convento de Santa Joana, sito na Rua de Santa Marta, n.º 61-E, Lisboa), no conjunto designado por 'Cartórios dos conventos'. Com a extinção do Arquivo Histórico do Ministério das Finanças, pelo Decreto-Lei n.º 106-G/92, de 1 de Junho, todo o seu acervo foi integrado na Torre do Tombo. Em 2008, procedeu-se à descrição da documentação, mas a documentação manteve as cotas do Arquivo Histórico do Ministério das Finanças, tendo sido identificado 1 livro, com as datas extremas entre 1693 e 1739.

A descrição dos documentos foi feita, na sua maioria, a partir das descrições já existentes nos ID, ou do sumário patente no verso dos documentos.
Scope and content
Contém livros de emprazamento, de reconhecimento de prazos, de receita e despesa, de foros, de escrituras de casais e terras pertencentes ao Convento, de tombo, de capelas, documentos relativos a contas de capelas e recibos, livros de profissões de noviços, o índice de todos os documentos existentes no cartório.

Contém livros de tombo de escrituras do mosteiro, testamentos, alvarás, cartas régias, doações, legados pios, cartas de "traditio", apresentação de igrejas, cartas de venda, traslados, composições, procurações, sentenças, emprazamentos, aforamentos, instrumentos de posse, rol dos bens do mosteiro em Montemor-o-Novo, tombo da igreja de Alvito, regimento do hospital de Jesus Cristo (Santarém), livro dos foros do mosteiro, carta do Geral da Ordem, entre outros.

Existe ainda documentação relativa a instituição de capelas, cartas de venda, patentes e licenças do provincial e do vigário-geral, certidões, cartas do Cardeal-Infante, despachos, sentenças, testamentos, rol de bens deixados ao convento e despesas relativas a obras no mosteiro.

O livro que veio de Arquivo Histórico do Ministério das Finanças é relativo ao recibo dos religiosos do convento.

Fundos Eclesiásticos; Ordem da Santíssima Trindade para a Redenção dos Cativos
Arrangement
Ordenação numérica específica para cada tipo de unidade de instalação (livros e maços).
Other finding aid
ARQUIVO NACIONAL DA TORRE DO TOMBO - [Base de dados de descrição arquivística]. [Em linha]. Lisboa: ANTT, 2000- . Disponível no Sítio Web e na Sala de Referência da Torre do Tombo. Em actualização permanente.

Índice (inventário) dos livros de diversos conventos, ordens militares e outras corporações religiosas guardados no Arquivo da Torre do Tombo, conventos diversos, caderneta 3 (Santo Elói a Teatinos) (C 270) f. 116-125.

Índice (inventário) dos livros de diversos conventos, ordens militares e outras corporações religiosas guardadas no Arquivo da Torre do Tombo, conventos diversos, caderneta 5 (Trindade de Lisboa a Xabregas) (C 272).

"Inquirições" (L 280).

Relação de documentos vindos da Direcção-Geral dos Próprios Nacionais, em 14 de Maio de 1894 (letras L-V) (C 280) f. 90-95. Organização topográfica.

Relação dos documentos pertencentes aos extintos Conventos de Santa Iria de Tomar, Trindade de Santarém, Carmo Calçado de Torres Novas, Nossa Senhora das Necessidades de Tomina e São Francisco de Moura que, em virtude das Portarias de 26 de Novembro de 1863 e 24 de Agosto de 1864, foram transferidos do cartório da Direcção-Geral dos Próprios Nacionais para o Arquivo da Torre do Tombo, em 8 de Abril de 1869 (C 423) f. 12-17.

Inventário das Corporações Religiosas, desintegrado da antiga Colecção Especial (inclui a tabela de equivalência e a "Nota explicativa" da restituição dos documentos aos cartórios de origem, feita pela conservadora Maria Teresa Geraldes Barbosa Acabado), em 24 de Julho de 1978 (L 208).

Relação sumária dos documentos do Convento da Trindade de Santarém, f. 278 (L 286).
Related material
Portugal, Biblioteca Nacional.

Portugal, Torre do Tombo, Ministério das Finanças, cx. 2249, inv. n.º 354.
Publication notes
"Ordens religiosas em Portugal: das origens a Trento: guia histórico". Dir. Bernardo de Vasconcelos e Sousa. Lisboa: Livros Horizonte, 2005. ISBN 972-24-1433-X. p. 444
Creation date
4/7/2011 12:00:00 AM
Last modification
1/7/2020 9:44:47 AM