Mosteiro de São Miguel de Vilarinho

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/TT/MSMV
Title type
Atribuído
Date range
1104 Date is certain to 1609 Date is certain
Dimension and support
7 mç.; perg., papel
Biography or history
O Mosteiro de São Miguel de Vilarinho era masculino e pertencia aos Cónegos Regulares de Santo Agostinho.

Foi fundado, provavelmente, em 1070.

O Censual do Cabido do Porto refere-o no ano de 1120.

Recebeu carta de couto entre 1128 e 1150.

No século XIV, por determinação dos arcebispos de Braga, o Mosteiro de São Miguel de Vilarinho prestou diversos serviços administrativos à arquidiocese, nomeadamente, a cobrança das rendas da mesa episcopal.

Em 1450, a 14 de Agosto, D. Fernando da Guerra, arcebispo de Braga, anexou-lhe "in perpetuum" a igreja de Santiago de Carvalhosa.

Em 1582, os Mosteiros de São Pedro de Folques, de São Martinho de Caramos, de São Simão da Junqueira, de Santo Estêvão de Vilela, de Santa Maria de Vila Nova de Muía, do Salvador de Paderne, de Santa Maria de Vila Boa do Bispo, de Santa Maria de Oliveira e de São Miguel de Vilarinho, pertencentes ao padroado real, foram abrangidos pelo "Contrato dos mosteiros novos", assinado entre o rei e o prior geral da Congregação de Santa Cruz, pelo qual o rei os largava à Congregação recebendo, em contrapartida, uma pensão régia, paga a partir das rendas das respectivas mesas priorais.

Em 1594, pela bula "Pro apostolicae servitutis" do papa Clemente VIII, de 19 de Maio, no 3.º ano do seu pontificado, passada a instância do rei D. Felipe, foram unidos à Congregação de Santa Cruz de Coimbra, sendo-lhes confirmados todos os privilégios, graças e indulgências que lhes tinham sido dados e concedendo-lhes os outorgados ao Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, quer pelos papas, seus antecessores, quer os de que gozava de outras religiões (ordens) por comunicação e autoridade apostólica. O arcebispo de Braga foi nomeado juiz executor e conservador apostólico da bula de união.

Em 1595, o prior geral da Congregação tomou posse do Mosteiro.

Em 1612, o Capítulo Geral de 17 de Maio, uniu o Mosteiro de São Miguel de Vilarinho ao de Santa Maria de Landim, por 9 anos, no âmbito da faculdade dada pela bula "Quaecumque ad Religiosorum commodum" de Clemente VIII, dada em Roma a 16 de Junho de 1601; esta união incluía o benefício dos rendimentos e a apresentação dos curas e vigários perpétuos dos mosteiros anexados.
Custodial history
Alguns documentos foram enviados para o cartório de Santa Cruz de Coimbra e integrados no Armário 60 dos mosteiros da Congregação (actual maço 36 do Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra).

No séc. XIX, os documentos do extinto mosteiro de São Miguel de Vilarinho, depositados em São Vicente de Fora, receberam um número de ordem, escrito a tinta carmesim, assinados na sua maioria por Carvalho. Este era o quinto cartório na ordem de arrumação.

Os documentos apresentam o número de inventário geral recebido em São Vicente de Fora.

Na Torre do Tombo, os documentos foram integrados na Colecção Especial, recebendo ordenação cronológica, tendo estado nas caixas 79 a 88, maço 1 e 2; na caixa 90, maço 2; nas caixas 91, 93, 95, maço 1 e 2; nas caixas 100 a 103, maço 1 e 2; nas caixas 104, 105, 115, maço 1 e 2; na caixa 117, maço 1 e 2; na caixa 119, maço 2; nas caixas 121 e 128, maço 1 e 2; na caixa 129, maço 1; nas caixas 131, 133, 134, maço 1 e 2; na caixa 135, maço 1; na caixa 136, maço 1 e 2; nas caixas 151 e 153, maço 2; na caixa 178, maço 1.

Mais tarde foram integrados nos maços do mosteiro, conservando a ordenação cronológica.

No final da década de 1990, foi abandonada a arrumação geográfica por nome das localidades onde se situavam os conventos ou mosteiros, para adoptar a agregação dos fundos por ordens religiosas.
Scope and content
Contém notificações acerca da proibição régia do pagamento de préstamos a pessoas seculares (1342), provisão do arcebispo de Braga, D. Martinho, relativa às letras buladas do papa Clemente VI, publicadas no tempo do arcebispo D. Lourenço, sobre as violências e roubos praticados por fidalgos nos bens dos mosteiros e o abuso dos direitos de pousada e comedoria (5/4/1402), a confirmação dos bens concedida pelo papa João XXII ao Mosteiro de Vilarinho, dada em Avinhão, a 17 de Outubro, em traslado datado de Avinhão, 31 de Outubro de 1321, um traslado (1308) de uma demarcação dos casais de Vilar, em São João das Caldas (1164).

Existe alguma documentação de carácter judicial como a demanda havida entre o Mosteiro de Vilarinho e o de Santo Tirso sobre a água da aldeia de Represas, no julgado de Aguiar de Sousa (1360), sentenças relativas a bens, à água do Ribeiro, a dívidas e penhoras, à questão das porções e mantimento havida entre o prior de Vilarinho e os seus cónegos, sentença sobre bens do arcebispado de Braga, sentença sobre bens dada pela Casa da Suplicação.

Inclui testamentos, mandas, cartas de doação, doações com obrigação de missas, cartas de venda de casas em Guimarães e de outros bens, cartas de escambo e de quitação.

A documentação relativa a propriedades compreende a composição sobre os montados do monte de São Pedro de Rodins, posse de bens, partilha de casais entre o Mosteiro de Vilarinho e a igreja de São Tiago de Lustosa, os prazos de casais do mosteiro. Prazos das casas, lavoura e chantadoria da igreja de Carvalhosa, sua anexação ao Mosteiro de Vilarinho e outros documentos desta igreja, uma precatório e venda feitos no tempo do comendatário D. Luís de Azevedo (1574, 1609), o tombo das propriedades e bens do Mosteiro de 1536 e recibos e quitações, feitos pelos tabeliães de Braga.

Reúne também documentos sobre a apresentação e confirmação do prior de Vilarinho, Vasco Martins, dada por D. Fernando, arcebispo de Braga (1434), alvarás de recibo dos recebedores e procuradores dos arcebispos de Braga, D. João, D. Lourenço e D. Martinho, referentes à colheita e à dízima e meia pagas pelo Mosteiro de Vilarinho, no âmbito do compromisso assumido pelo clero do arcebispado perante o rei D. Fernando, nas Cortes de Lisboa, e dos serviços prometidos ao arcebispo e ao delegado do papa Bonifácio IX, nos Sínodos convocados por D. Lourenço e realizados em Braga, em Novembro de 1394 e em 16 de Novembro de 1395, o recibo das meias prestações outorgadas ao papa (1371), os recibos das pagas de jantares, votos (vodos), préstamos, visitações, cera, linho, bragal e ainda o alvará de recibo de D. Lourenço, de quantias resultantes da venda do vinho na quinta do Pinheiro e da venda que o prior do Mosteiro de Vilarinho efectuou na quinta da igreja de São Salvador como procurador do arcebispo (encontram-se, actualmente, nos mç. 4 e 5 do mosteiro de Vilarinho).

Contém ainda documentos com referências ao couto, burgo e Mosteiro de Pombeiro (mç. 3, n.º 13, mç. 4, n.º 17; mç. 5, n.º 10, mç. 6, n.º 2) e um prazo feito pelo Mosteiro de Santo Tirso (mç. 5, n.º 29).

A documentação refere as relações do Mosteiro com os arcebispos de Braga, a toponímia de Guimarães, bens situados, predominantemente, nos concelhos de Guimarães, Santo Tirso, Felgueiras, Lousada, Paços de Ferreira.

Algumas das propriedades confrontavam com bens da igreja de São Martinho do Campo, do Convento de Santo Elói do Porto, do Mosteiro de Santo Tirso, da Colegiada de Nossa Senhora da Oliveira de Guimarães, do Mosteiro de Santa Marinha da Costa, do Mosteiro de Santa Maria de Pombeiro e do Mosteiro de São Martinho de Caramos.

Fundos Eclesiásticos; Cónegos Regulares de Santo Agostinho; Masculino
Arrangement
Ordenação numérica específica para cada tipo de unidade de instalação (maços).
Language of the material
Latim e português. Letra visigótica redonda, de transição para a carolina, letra carolino-gótica, gótica.
Other finding aid
ARQUIVO NACIONAL DA TORRE DO TOMBO - [Base de dados de descrição arquivística]. [Em linha]. Lisboa: ANTT, 2000- . Disponível no Sítio Web e na Sala de Referência da Torre do Tombo. Em actualização permanente.

Catálogo dos documentos das cx. 23 e 24 do Mosteiro de São Vicente de Fora, 2.ª incorporação (C 384).

Catálogo dos documentos das cx. 25 e 26 do Mosteiro de São Vicente de Fora, 2.ª incorporação (C 385).

Catálogo dos documentos da cx. 30 do Mosteiro de São Vicente de Fora, e descrição sumária de 80 votos de profissão de frades do mosteiro da cx. 31, 2.ª incorporação (C 387).

Índice (inventário) dos livros de diversos conventos, ordens militares e outras corporações religiosas guardadas no Arquivo da Torre do Tombo, conventos diversos, caderneta 5 (Trindade de Lisboa a Xabregas) (C 272), f.177 - 180.

Inventário das Corporações Religiosas, desintegrado da antiga Colecção Especial (inclui a tabela de equivalência e a "Nota explicativa" da restituição dos documentos aos cartórios de origem, feita pela conservadora Maria Teresa Geraldes Barbosa Acabado), em 24 de Julho de 1978 (L 208) f. 7.

Relação de todas as casas religiosas extintas ou suprimidas no Continente que foram compreendidas nos mapas das alfaias preciosas que subiram ao conhecimento da Câmara dos Deputados em 6 de Fevereiro de 1840. Conventos diversos, cad. 1, Abrantes-Lisboa (C 281) f. 83.

Relação de todas as casas religiosas extintas ou suprimidas no Continente que foram compreendidas nos mapas das alfaias preciosas que subiram ao conhecimento da Câmara dos Deputados, em 6 de Fevereiro de 1840. Conventos diversos, cad. 2, Lisboa-Xabregas (C 282) f. 213.

Suplemento da Colecção Especial: relações sumárias das bulas, cx. 1-15, breves, cx.16-22, de sentenças apostólicas, cx. 23-24, sentenças executoriais, cx. 25-26, "Miscelânea eclesiástica", cx. 27, diplomas emanados do poder real, cx. 28-72, de príncipes, infantes, duques de Bragança, rainhas, cardeais, arcebispos, bispos, de patriarcas (...), e relações de unidades de instalação respeitantes a instituições eclesiásticas regulares e seculares (L 207) f. 14.

Tabela de equivalência do Mosteiro de São Miguel de Vilarinho, disponível no balcão do Serviço de Referência.
Related material
Arquivo Distrital de Braga.

Arquivo Distrital do Porto.

Portugal, Arquivo Municipal Alfredo Pimenta.

Portugal, Arquivo da Universidade de Coimbra.

Portugal, Torre do Tombo, Inquirições de D. Afonso III.

Portugal, Torre do Tombo, Cónegos Regulares de Santo Agostinho, Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, mç. 36.

Portugal, Torre do Tombo, Cónegos Regulares de Santo Agostinho, Mosteiro de Santa Maria de Landim.

Portugal, Torre do Tombo, Cónegos Regulares de Santo Agostinho, Mosteiro de São Pedro de Roriz.

Portugal, Torre do Tombo, Cónegos Regulares de Santo Agostinho, Mosteiro de São Vicente de Fora, 2.ª incorporação, caixa 23, 25, 26 e 30.

Portugal, Torre do Tombo, Ministério das Finanças, Mosteiro de São Miguel Vilarinho, cx. 2265 , inv. n.º 441.
Publication notes
AZEVEDO, Rui de - "A Colecção Especial do Arquivo Nacional da Torre do Tombo: (...) o itinerário do cartório de Moreira". Revista portuguesa de História. Coimbra: Faculdade de Letras da Universidade; Instituto de Estudos Históricos Dr. António de Vasconcelos. T. 3 (1943) 5-26 [9].
"Documentos Medievais Portugueses". Lisboa : Academia Portuguesa de História, 1958- . 2 vol.; 38 cm. v. 1, t. 1: "Documentos Régios: documentos dos Condes Portucalenses e de D. Afonso Henriques A.D. 1095-1185. 1962.
MARQUES, José - A arquidiocese de Braga no séc. XV. Lisboa: INCM, (1988). (Temas Portugueses). p. 720, 766-794. Contém o estudo do Mosteiro de São Miguel de Vilarinho (priores, património e sua cartografia) a partir de fontes do Arquivo Distrital de Braga e da Torre do Tombo.
"Ordens religiosas em Portugal: das origens a Trento: guia histórico". Dir. Bernardo de Vasconcelos e Sousa. Lisboa: Livros Horizonte, 2005. ISBN 972-24-1433-X. p.184.
"Portugaliae Monumenta Historica: a saecvlo octavo post Christvm vsque ad quintvmdecimum...". ivssv Academiae Scientiarvm Olisiponensis edita. Olisipone: Typis Academicis, 1856-1961. - V.1: Inquisitiones.
SANTOS, Maria José Azevedo - Da visigótica à carolina: a escrita em Portugal de 882 a 1172: aspectos técnicos e culturais. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian; Junta Nacional de Investigação Científica e Tecnológica, 1994. p. 115. 130, 179, 188. ISBN 972-31-0633-7.
Creation date
2/22/2011 12:00:00 AM
Last modification
1/7/2020 9:45:17 AM