Vigararia Provincial dos Religiosos Descalços da Santíssima Trindade

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/TT/VPRDST
Title type
Atribuído
Date range
1719 Date is certain to 1829 Date is certain
Dimension and support
1 mç. (16 doc.); papel
Biography or history
A Vigararia Provincial da Ordem dos Religiosos Descalços da Santíssima Trindade tinha a sua sede no Hospício em Miranda do Douro, também designado por Convento da Santíssima Trindade.

Em 1718, a 18 de Agosto, esta ordem obteve autorização régia para fundarem dois conventos, um em Miranda do Douro e outro em Mirandela, onde já existiam dois hospícios, com as cláusulas de obterem um breve pontifício para ficarem imediatamente sujeitos a Roma e de não possuírem bens de raiz. De entre os religiosos encontravam-se alguns oriundos de Castela. Não tendo sido conseguido o breve no prazo determinado, inicia-se uma contenda com a Ordem da SantíssimaTrindade para a Redenção dos Cativos, em que era exigida a demolição dos conventos de Miranda do Douro e de Mirandela, o que não sucedeu, em cumprimento do Decreto de 8 de Janeiro de 1754, em que também foi exigido que não fossem admitidos religiosos estrangeiros, e expulsos os que houvesse.

Em 1778, a 2 de Junho, e na impossibilidade de conseguirem obter o breve apostólico, os religiosos descalços da Santíssima Trindade fizeram uma petição a D. Maria I para puderem continuar a sua assistência nos hospícios de Miranda e Mirandela,

Em 10 de Novembro de 1781, foi-lhes ainda concedida, pela mesma rainha, uma consignação anual de 50 mil reis, até atingir a quantia de 600 mil reis, através do rendimento da Câmara do Senado de Miranda, para a reedificação da capela de São Sebastião.

Em 1834, no âmbito da "Reforma geral eclesiástica" empreendida pelo Ministro e Secretário de Estado, Joaquim António de Aguiar, executada pela Comissão da Reforma Geral do Clero (1833-1837), pelo Decreto de 30 de Maio, foram extintos todos os conventos, mosteiros, colégios, hospícios e casas de religiosos de todas as ordens religiosas, ficando as de religiosas, sujeitas aos respectivos bispos, até à morte da última freira, data do encerramento definitivo.

Os bens foram incorporados nos Próprios da Fazenda Nacional.
Custodial history
Não é ainda conhecida a história custodial desta documentação.

A documentação terá sido reunida cerca do ano 2000, por ordem da Directora de Serviços de Arquivística, Dr.ª Maria do Carmo Dias Farinha, na sequência dos trabalhos de elaboração do Inventário das Ordens Monástico-conventuais. Foi então identificada como proveniente da Vigararia Provincial dos Religiosos Descalços, da Ordem da Santíssima Trindade, e individualizada em unidade de instalação autónoma.
Scope and content
A documentação é constituída por cartas, resoluções régias, certidões de diversos documentos, petições, sobre as esmolas a dar aos religiosos, a fundação dos conventos e a continuação dos hospícios, o pagamento da consignação anual, admissão de religiosos de coro.

Fundos Eclesiásticos; Ordem dos Religiosos Descalços da Santíssima Trindade
Other finding aid
ARQUIVO NACIONAL DA TORRE DO TOMBO - [Base de dados de descrição arquivística]. [Em linha]. Lisboa: ANTT, 2000- . Disponível no Sítio Web e na Sala de Referência da Torre do Tombo. Em actualização permanente.
Related material
Portugal, Torre do Tombo, Ministério das Finanças, Convento da Santíssima Trindade dos Trinos Descalços, de Miranda, cx. 2237, inv. nº 259
Creation date
4/7/2011 12:00:00 AM
Last modification
1/7/2020 9:45:20 AM