Digital representation
Digital representation thumbnail

Relatório de Sousa Holstein dirigido ao Ministro do Reino acerca do “estado em que se achava a Academia” e as “alterações que ocorreram desde Junho de 1862”

Description level
Item Item
Reference code
PT/MNAA/AJF/DC-OI-ARBA/001/00001/000001
Title type
Atribuído
Date range
1864-02-26 Date is uncertain to 1865-02-29 Date is uncertain
Descriptive dates
06-02-1862 a 10-04-1862
Dimension and support
43 fól.; papel
Recipient
Ministro Secretário do Estado dos Negócios do Reino
Scope and content
Relatório de Sousa Holstein acerca do “estado em que se achava a Academia” e as “alterações que ocorreram desde Junho de 1862” em que aborda os seguintes pontos:

- alterações do pessoal docente;

- aquisições para a Galeria de Pintura (dádivas);

- preparação de catálogo;

- reformulação dos inventários;

- restauro de 21 quadros;

- aquisição de colecção de desenhos (cerca de 1000), por transferência de propriedade (Imprensa Régia / Academia); outros de Sequeira;

- solicitação de dois conservadores;

- colecção de estampas e gravuras considerada “deficiente”;

- sugestão para “formar uma calcografia”;

- pedido de aumento de verba para a produção de modelos (em gesso) de ornatos vários, o que seria proveitoso para os alunos e “para os nossos industriais e fabris”;

- “museu de esculturas ainda o não possuimos”;

- lembra a inexistência de lei que proíba a exportação de objectos de arte;

- refere a existência de alguns objectos de ouro e prata;

- sugere a formação de “um museu histórico”;

- sobre a biblioteca faz referência à aquisição de dois mil volumes (verba de D. Fernando) e a sua abertura à noite para “as pessoas que desejassem aí estudar”;

- refere a colecção de conchas oferecidas por Barbosa Bocage para as aulas de paisagem;

- sobe as condições do Convento de S. Francisco para para funcionar como Academia e Museu, salienta: necessidade da construção de “uma casa digna” para museu; reunir todas as riquezas artísticas; formar em Lisboa um museu central (os museus provinciais seriam organizados posteriormente);

- necessidade de dar mais importância à arqueologia;

- refere a existência de cerca de 4000 alunos nos últimos 10 anos;

- defende o ensino das belas artes e a sua “aplicação à Industria”,

- salienta que da Academia não “pode sair um só arquitecto” por falta de aulas de matemática e de outras disciplinas;

- defende o trabalho em atelier como o método de ensino a adoptar;

- conclui: “Este estabelecimento como está hoje não satisfaz aos fins para que foi criado”.



O relatório contém os seguintes anexos:

- Cópia de 26-02-1864 reproduzindo um parecer da comissão de pintura, que analisa e recomenda a aquisição de 90 quadros, datado de 20-02-1862 e assinado por Thomaz d’Anunciação, João da Silva e Miguel Lupi;

- Cópia de 26-02-1864 reproduzindo um parecer favorável para a aquisição de 22 quadros a Francisco Cambiaço, datado de 10-04-1862, assinado por Francisco Rodrigues;

- Cópia de 26-02-1864 reproduzindo uma descrição e avaliação de alto relevo de Luca della Robbia, datada de 06-02-1864, assinado por Francisco Rodrigues e António Figueiredo de Bastos;

- Cópia de 26-02-1864 reproduzindo um parecer com a recomendação de aquisição de uma colecção de livros pertencentes ao Conselheiro Husson, datado de 08-02-1864, assinado por João José dos Santos;

- Cópia de 26-02-1864 reproduzindo a “Acta da conferência extraordinária de dez d’Abril de 1862”, datado de 10-04-1862, assinado por Francisco Rodrigues e outros.

Signatures
Souza Holstein; João José dos Santos
Physical location
AJF/Cx1/P11/Doc.2 – 3/13; Doc.5
Language of the material
Português; manuscrito
Physical characteristics and technical requirements
Bom
Notes
Papel timbrado: “Academia Real das Bellas Artes de Lisboa”
Creation date
1/8/2013 11:16:05 AM
Last modification
7/24/2013 4:02:50 PM