Digital representation
Digital representation thumbnail

Artigos, publicados em jornais, relacionados com José de Figueiredo

Description level
File File
Reference code
PT/MNAA/AJF/AP/003/00001
Title type
Atribuído
Date range
1910 Date is uncertain to 1928 Date is uncertain
Dimension and support
9 fól.; 18 pp.; papel
Scope and content
Artigos, publicados em jornais, relacionados com José de Figueiredo



- Sousa Viterbo, “A bonhomia do povo português”, Diário de Notícias, 20-06-1910.

A respeito do “bello estudo sobre Nuno Gonçalves”comenta as diferenças entre a pintura portuguesa e espanhola, opondo-se à diferença “moral” que José de Figueiredoterá defendido (portugueses – com “índole (…) mais affectuosa e branda”; espanhóis – com índole mais “cruel e sangrenta”.

- José de Figueiredo,”Carta aberta ao sr. dr. Sousa Viterbo”, Diário de Notícias [?], 24-06-1910. Resposta às críticas referidas no artigo anterior.

- autor por identificar, “Obras de arte portuguesas”, jornal por identificar, s.d. [1911?].

“É nomeado para as estudar o Sr. José de Figueiredo. A folha official publica hoje a seguinte portaria: “ Attendendo ao que representou o presidente do Conselho de Arte e Archeologia (1ª circunscrição) ácêrca da absoluta necessidade de que a commissão encarregada, por despacho ministerial de 13 de Abril de 1910, do estudo, inventariação e tratamento dos quadros anteriores ao seculo XVII, existentes em Portugal, e mantido até à conclusão dos seus trabalhos pelo artigo 55º do decreto nº 1, de26 de maio último, tenha conhecimento das obras de arte portuguezas, d’essa época, que se encontraram em alguns museus estrangeiros: Attendendo ainda a que o mesmo funcionario propoz a nomeação de José de Figueiredo, membro da referida commissão, vogal effectivo do Conselho de Arte e Archeologia e director do Museu Nacional de Arte Antiga, que patrioticamente se offereceu para estudar no estrangeiro, não só taes obras de arte portuguezas, como a organização e installação dos mais importantes museus de arte:

Manda o governo da Republica que, pelo ministro do interior, seja nomeado, sem encargo algum para o Estado, o alludido José de Figueiredo, que deverá opportunamente apresentar, em relatório, o resultado do seu estudoe indicar as

modificações a introduzir nos museus artísticos portuguezes, para que elles correspondam cabalmente aos seus destinos”.

- H. F., “M. Lair-Dubreuil adjuge de précieuses boîtes et de jolies miniatures”, jornal por identificar,12-03-1912 ;

- autor por identificar, “Amigos do Museu Nacional de Arte Antiga”, Diário de Notícias, 06-04-1917.

“Reunião da assembleia geral – O crescente desenvolvimento do grupo – importantes ofertas ao Museu. (…) o sr. Luiz Fernandes leu o relatório da gerencia do conselho, a que preside, historiando largamente a acção do grupo durante esse período de tempo, especificando e justificando as aquisições que, com o destino ao Museu, foram feitas, (…) Nesse relatório ha tambem ampla referencia às reproduções que o grupo tem continuado a mandar fazer das obras de arte mais notaveis do Museu (…) desenvolvimento do grupo, tendo aumentado no ano de 1916 o numero de socios em mais de 60, com um aumento de rendimento que excede a 600 escudos. Só as quotas rendem actualmente cerca de dois mil escudos …” O artigo contém também o nomedos sócios entrados “a partir de 1 de janeiro de1916 em numero de 90…”.



- autor por identificar, “Em Madrid – Um banquete de homenagem a José de Figueiredo, director do Museu de Arte Antiga”, Diário de Lisboa, 17-11-1923.

“… O sr. José de Figueiredo é hoje, sem duvida, o mais eminente critico de arte português. (…) Amigo intimo do Grande Rodin e do notavel hispanofilo Emile Bertaux, os seus trabalhos sobre a personalidade inedita de Nuno Gonçalves proporcionaram-lheuma grande reputação internacional no mundo da arte. (…) O sr. Figueiredo (…), pensa presentemente, na realisação do Congresso Iberico de Historia da Arte, que se realisará em Lisboa”.O artigo contém ainda a lista dos presentes na homenagem; destacam-se: representantes de ministros espanhóis, um ministro português, um reitor de Universidade espanhola, os directores dos Museus do Prado e de Arte Moderna, etc.

- Carlos Amaro, “Carta ao Dr. José de Figueiredo”, jornal por identificar, 23-05-1924.

Artigo elogiando J.F.; comenta o livro Evolução da Arte em Portugal e afirma: “… só agora, pelo seu livro eu soube que v. ex., e também o falecido professor e senador da Republica , Tomas Cabreira, já em 1908, - quere dizer, quatro anos antes de publicados na Lucta, esses meus artigos (…) – tentavam arrancar à plêiade gloriosa dos pintores espanhois do século XVII, o nome e a obra maior de todos eles: de D. Diogo Rodrigues da Silva Velásquez.”

- autor por identificar, “Um atentado. A Custodia de Belem. Um novo ataque de alienação mental do director do Museu de Arte Antiga”, Povo, 21-07-1928.

“…José de Figueiredo, está na disposição de permitir que saia daquele estabelecimento do Estado a famosa Custodia de Belém, para figurar na cegada de uma sociedade particular (…). O director do Museu de Arte Antiga é um doido declarado, tendo estado

mais duma vez em casas de saude do estrangeiro, por sofrer de doenças mentais. Por isso estranhámos sempre que ocupe um lugar de tanta responsabilidade, onde a

Republica em má hora o colocou e onde vem há anos exercendo as maiores tropelias.(…) convindo ecerrá-lo num manicómio, pois ninguem nos garante que amanhã não será capaz de lançar fogo ao estabelecimento que dirige e onde se guardam tantas e tamanhas preciosidades”.

Documental typology
Recortes de imprensa
Physical location
AJF/Cx8/P3/Doc.16 – 16/8
Language of the material
Português; impresso
Physical characteristics and technical requirements
Bom
Creation date
1/25/2013 6:44:30 PM
Last modification
7/24/2013 4:07:50 PM