A João Gonçalves, morador no reguengo, foi dada carta de confirmação de emprazamento, conforme documento que apresentou e no qual se diz que "no ano de 1496 a 14 de Novembro na vila de Sam Pedro do Sul no concelho de Lafões nas moradas de Pero Anes Alez almoxarife real no dito concelho estando aí Gonçalo Cardoso fidalgo da casa do dito Senhor e seu contador nas terras do Infantado perante ele apareceu João Gonçalves, morador no Reguengo e reguengueiro do Celeiro do Banho e requereu a ele contador que lhe emprazasse 2 casais e meio, reguengos que ele João Gonçalves já possuía por um emprazamento que lhe fizera Pero Rabelo almoxarife que foi no dito concelho .

Description level
Item Item
Reference code
PT/TT/CHR/K/29/119-432V
Title type
Formal
Date range
1498-04-27 Date is certain to 1498-04-27 Date is certain
Dimension and support
71 linhas
Extents
71 Livros
Scope and content
(...) E visto pelo contador seu emprazamento feito pelo dito Pero Rabelo almoxarife mandou meter em pregão o dito casal por João Álvares pregoeiro do concelho e não achou quem mais nem tanto lançasse senão o dito João Gonçalves que do foro do pão mais lançou com 3 alqueires que são de 10 alqueires meado e assim os outros foros aqui nomeados e ele contador lhe emprazou em 3 vidas e 3 pessoas em ele João Gonçalves e Inês Gonçalves sua mulher na 1ª pessoa de uma vida e a 2ª pessoa em um seu filho ou filha que deles descender e em um neto ou neta a 3ª pessoa e não havendo aí filhos nem netos que o último nomeie a 2ª pessoa e esta a 3ª e que pague o dito foro em cada um ano e terminados os ditos tempos das 3 vidas e 3 pessoas ficará o dito livre e desembargado ao dito Senhor e os ditos foros por medida corrente. E ele contador e almoxarife mandaram meter em pregão pelo dito porteiro . S . 1 casal que foi de Fernão Martins dono do dito João Gonçalves e assim um meio casal de Paul o qual casal e meio andava em pregão e não se achou quem em elas tanto dar nem pôr como o dito João Gonçalves... os quais dois casais e meio emprazava ao dito João Gonçalves e à dita sua mulher. E que havendo de vender os ditos casais ou cada um deles que o façam primeiramente saber ao senhorio se os quer e não os querendo que então possam vender com seus foros a quem quiser e com as ditas condições de todo pagarem ao dito Senhor não sendo a pessoas poderosas nem a mosteiros nem damas nem cavaleiros e não o fazendo assim que perca o dito prazo e aí possa haver o dito Senhor para si com todas bem feitorias. Testemunhas que foram presentes: Afonso Gonçalves, escrivão do dito almoxarifado de Mogadoiro e Pero Vaz criado do dito contador e Luís Pires porteiro do almoxarifado de Viseu e Pedro Anes Teles, almoxarife e outros e eu João Murzelo escrivão dos contos e tabelião geral por El-rei nas ditas terras do Infantado que este escrevi e meu público sinal fiz". El-rei e principe o mandou por D. Pedro de Castro do seu conselho e vedor da sua fazenda. Gaspar Rodrigues a fez.
Physical location
Chancelaria de D. Manuel I, liv. 29, fl. 119v
Creation date
4/29/2011 12:00:00 AM
Last modification
4/29/2011 9:50:00 PM
Record not reviewed.