Digital representation
Digital representation thumbnail

Inventário de extinção do Convento de Santa Maria de Arouca

Description level
File File
Reference code
PT/TT/MF-DGFP/E/002/00003
Title type
Atribuído
Date range
1859 Date is certain to 1934 Date is certain
Dimension and support
1 proc. (8956 f.); papel
Scope and content
O Convento foi extinto a 3 de Julho de 1886, por morte da última religiosa.

Contém o auto de abertura da descrição e avaliação do convento e seu conteúdo, estando presentes a madre abadessa D. Jerónima José Alpoim Cerqueira de Meneses, o padre Joaquim Soares Valente e Joaquim Soares Aranha, na casa da grade, em 30 de Março de 1859; inclui relações de inventário de bens imóveis urbanos e rústicos, e dos bens móveis, o prazo da Quinta do Beduído, traslados ou certidões de escrituras de prazos do Convento desde 1726, cerficados da Junta do Crédito Público, carta de lei, arrematação de livros de foros, registo de sentenças de várias freguesias, documentos de títulos e escrituras de prazos, de processos cíveis e executivos.

Inclui relações de objectos e manuscritos do espólio transportados para o Museu Nacional da Academia de Belas Artes e Arqueologia de Lisboa, de móveis para arrematação, orçamento da despesa do transporte do cartório e móveis do extinto convento para a Repartição da Fazenda distrital de Aveiro, em 1892.

Contempla certidões da doação do couto de Arouca, entre outros, passadas por José Manuel da Costa Basto, Director do Arquivo Nacional da Torre do Tombo, em 1896, com selo de chapa, e trasladadas da documentação recebida nesse ano de vários conventos; catálogo geral do arquivo do suprimido convento de Santa Maria de Arouca; relação dos livros pertencentes ao cartório.

Contém o termo de posse e entrega de livros e manuscritos do cartório (missal romano, cisterciense, "Juris Consulti Lusitani" de Velasco, Livro Miscelânea da Canonização de Santa Mafalda, manuscritos: Livro dos Legados (1795), da Tulha, do espólio das religiosas, entre outros), aos Próprios Nacionais de 4 de Abril de 1894, tendo participado o Inspector Geral interino da 2.ª repartição das Bibliotecas e Arquivos Públicos, e Miguel Augusto Pereira de Araújo, Delegado do Tesouro de Aveiro.

Alguns objectos e manuscritos - códice em pergaminho com iluminuras, encadernado em couro com pregaria, ferros e defesas de metal amarelo, selo pendente de metal com a efígie de D. Manuel, entre outros -, do espólio foram transportados para o Museu Nacional da Academia de Belas Artes e Arqueologia de Lisboa, em 1886 e 1892.

Contém jornais "Districto de Aveiro", n.º 2097, de 1892, redactor: A. Augusto de Sousa Maia; "O Primeiro de Janeiro", n.º 147, n.º 148, Porto, de 1892, proprietário: Gaspar Ferreira Baltar; entre outros.

Inclui documentos pertencentes à Real Irmandade da rainha Santa Mafalda, erecta na igreja do extinto convento.

Integra documentos produzidos no âmbito da extinção do Convento de São Dionísio de Odivelas, da Ordem de Cister.

O inventário do cartório foi executado por António Teixeira Brandão de Vasconcelos, vice-presidente da Câmara, servindo de administrador do concelho, Domingos José da Silva Tavares, escrivão de Fazenda, e Sebastião Cândido de Oliveira, encarregado da feitura do inventário, conforme Decreto de 31 de Maio de 1862.

O cartório dividia-se em três partes: de fora, do concelho de Estarreja, e de dentro. Continha os livros: rol de cobrança de foros, de laudémios, de notas de escrituras desde o século XV até ao século XIX; de prazos, tombos de reconhecimento de prazos da freguesia de Santa Eulália, São Salvador do Burgo, vila de Arouca, entre outras localidades.

A Câmara Municipal tomou posse das águas do manancial existente no Canto do Muro, no cimo da cerca do extinto convento. Estiveram presentes no acto, o Dr. José Gomes de Figueiredo Sobrinho, Presidente da Câmara, Alberto Brandão de Sousa, administrador do concelho, e Bento Alves de Almeida, escriturário de Fazenda do concelho servindo de escrivão, comunicado pelo Delegado do Tesouro do distrito de Aveiro, em 1899.

A Câmara Municipal comprometeu-se a efectuar obras de reparação, canalização ou construção, e a fornecer água ao convento ou outra instalação do mesmo, e estabelecer um chafariz no centro da Praça Brandão de Vasconcelos, da vila, como foi proposto na representação da Câmara, em 5 de Julho de 1899.

O cardeal bispo da diocese de Aveiro, recebeu as alfaias e objectos, excepto um relicário em forma de capela em prata com lavores contendo relíquias de vários santos, deixado pela rainha Santa Mafalda em testamento, cujo documento original se acha na Torre do Tombo.

Alguns objectos foram transportados para o Museu Nacional da Academia de Belas Artes e Arqueologia de Lisboa, em 1886.

O edifício foi cedido provisoriamente à Associação Auxiliar da Missão Ultramarina cuja função consistia em enviar catequistas, mestras, enfermeiras e auxiliares dos serviços missionários, de acordocom o Decreto de 7 de Novembro de 1889 e da Carta de Lei de 26 de Junho de 1889.

Em 1890, de 15 de Março, a junta da paróquia, a Irmandade da Misericórdia e a Associação Auxiliar da Missão Ultramarina, tomaram posse definitiva da Igreja e objectos, estando presentes no edifício do convento, Carlos de Melo Vaz Pinto, administrador interino do concelho, o padre Joaquim Teixeira da Silva, os membros da Junta da Paróquia de São Bartolomeu de Arouca, e os mesários da Real Irmandade da Rainha Santa Mafalda.

A documentação menciona bens situados nos concelhos de Arouca, São Pedro do Sul (Viseu), Mesão Frio, Mondim de Basto, Macieira, Vila Nova de Foz Coa; na freguesia dos Olivais, 1.º Bairro, Lisboa; vila e concelho de Estarreja; Braga, Porto, Maia, Coimbra, Torres Vedras, Alenquer, Feira, Oliveira de Azeméis, Cambra, Sever, Aveiro, Albergaria-a-Velha, Águeda, Castro Daire, Lamego; Quinta da Mina em Alverca, entre outros.
Physical location
Ministério das Finanças, Convento de Santa Maria de Arouca, cx. 1854 a 1868
Original numbering
IV/I/3 (1) a IV/I/18 (28) - caixa 3 a 11 A
Language of the material
Português
Related material
Portugal, Torre do Tombo, Ministério das Finanças, Convento de São Dionísio de Odivelas (PT-TT-MF/DGFP/E/2/4).

Portugal, Torre do Tombo, Ministério das Finanças, Convento de Santa Maria de Almoster, de Santarém (PT-TT-MF/DGFP/E/2/5).
Notes
Em 2008, a descrição foi elaborada por Maria Filomena de Sequeira Carvalho (Torre do Tombo) a partir da consulta do documento.
Creation date
3/19/2009 12:00:00 AM
Last modification
7/11/2016 1:38:20 PM