Digital representation
Digital representation thumbnail

Inventário de extinção do Convento de Santo Agostinho ao Grilo de Lisboa

Description level
File File
Reference code
PT/TT/MF-DGFP/E/002/00079
Title type
Atribuído
Date range
1834-03-01 Date is certain to 1921 Date is certain
Dimension and support
1 proc. (760 f.); papel
Scope and content
O Convento pertencia à Ordem das Agostinhas Descalças, era também conhecido por Convento do Grilo, e estava situado na freguesia de São Bartolomeu de Xabregas, concelho dos Olivais. Foi extinto em 22 de Abril de 1885, por morte da última religiosa professa.

Foi mandado edificar pela rainha D. Luísa Francisca Maria de Gusmão, mulher de D. João IV, dotando-o com propriedades compradas ao marquês de Sande, no local onde estava situado, e com dinheiro proveniente do seu dote, herança, rendimentos que lhe pertenciam da Casa de Bragança, e do produto de suas arras.

A Fazenda Nacional tomou posse do Convento de Nossa Senhora da Conceição, no sítio do Grilo, em Xabregas, e mais bens, em 20 de Maio de 1885.

Contém inventários de descrição e avaliação de bens imóveis (rústicos e urbanos) e dos bens móveis, edifício do Convento, cerca, igreja, anexos, alfaias, objectos de culto e profanos, quadros, foros, prazos, mapas de bens e rendimentos, dívidas activas e passivas, despesa, pessoal do Convento - assinados pelo desembargador prior Silvério Antão Barata Salgueiro, e pela prioresa soror Ana de Santo Agostinho, em 8 de Abril de 1859.

Integra o inventário dos bens imóveis do Convento, no concelho dos Olivais, elaborado por Francisco João Brady, escrivão da Fazenda, na presença do Dr. Silvério Antão Barata Salgueiro, desembargador da Cúria Patriarcal, prior colado da freguesia de São Nicoláu de Lisboa e comissário do inventário, foram recebidos pela prioresa soror Ana de Santo Agostinho, em 15 de Fevereiro de 1859.

Contempla o inventário dos bens do suprimido Convento, freguesia do Beato, concelho dos Olivais, elaborado em 20 de Maio de 1885. Estiveram presentes o administrador do concelho Dr. António Augusto Vilaça, José Bernardo dos Anjos, escrivão da Fazenda, Henrique Francisco Bizarro, padre Teotónio José de Figueiredo Castro, capelão confessor do Recolhimento dos Olivais (nomeado pelo cardeal partiarca) e as testemunhas Miguel Vitorino Freire, empregado na casa da firma Bravo & Filhos, e Carlos Agnello Formant de Abreu, proprietário.

Contém a avaliação de propriedades de casas no bairro do Rossio em Lisboa, bem como o processo instaurado para avaliação de um foro no concelho de Arruda, pelo administrador substituto, Jerónimo de Lima Paes de Sande e Castro, e pelo escrivão da Fazenda José Carlos Palyart de Clamouse (1864), entre outros.

Reúne documentos do comerciante inglês Francisco Roughton e sua mulher Helena Roughton, e de António Maria Bravo, da Associação de Santa Maria Madalena, para o estabelecimento de um colégio ou casa de abrigo para penitentes (1884), e sobre a profanação da igreja do extinto Convento, em virtude de nela se achar o caixão da rainha D. Luísa Francisca de Gusmão (1888).

Compreende o auto de arrematação de móveis e outros objectos, o termo de entrega dos sinos do extinto Convento pelo administrador do concelho de Loures (do concelho dos Olivais) José Madeira Abranches, à Paróquia da freguesia de Alpiarça (1889), Decreto da concessão da teia da Igreja ao Cabido da Sé de Lisboa, de objectos à junta de Paróquia da freguesia de São João Baptista, da Vila de Alhandra (conforme pedido do cardeal patriarca), entre outros.

O cartório continha livros dos estatutos da Ordem das Agostinhas Descalças, entradas e óbitos das religiosas, "Acções últimas do padre frei Manuel da Conceição, fundador da Congregação das Descalças de Portugal", cópias do testamento da rainha fundadora do Convento, as chaves do túmulo da rainha, escritura da fundação do Convento, da compra da quinta do Grilo - que foi de D. Guimar da Silveira - com todas as suas pertenças, da compra de dois padrões a Inácio de Sousa Pavia Sardinha Cogominho e Vasconcelos, Questão entre as religiosas e o marquês de Arronches, documentos sobre a entrada no Convento da religiosa Maria José do Coração de Jesus cujo nome civil era D. Margarida de Sousa Coutinho e Meneses, filha do conde do Redondo, entre outros.

Alguns livros foram vendidos em hasta pública.

Por decisão de D. Gaudêncio, arcebispo de Mitylene, foram enviados outros livros, e objectos, ao prelado (1887).

Em 1886, foram remetidos objectos à Academia de Belas Artes para o Museu Nacional.

A documentação menciona bens nos concelhos dos Olivais, Lisboa, Loures, Santarém, Arruda, Torres Vedras, Almeirim.

Physical location
Ministério das Finanças, Convento de Santo Agostinho ao Grilo de Lisboa, cx. 1985
Original numbering
IV/A/25 (1) a IV/A/25 (31) - caixa 101
Language of the material
Português
Notes
Documento selecionado para o projeto "Lx Conventos: Da cidade sacra à cidade laica. A extinção das ordens religiosas e as dinâmicas de transformação urbana na Lisboa do século XIX.", financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (PTDC/CPC-HAT/4703/2012). Este projeto tem como Instituição Proponente o Instituto de História de Arte, da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, da Universidade Nova de Lisboa, que decorreu entre Maio de 2013 e Abril de 2015.
Creation date
3/19/2009 12:00:00 AM
Last modification
11/13/2017 3:18:08 PM